Alejandro Zepeda/EFE
Alejandro Zepeda/EFE

Atlético-MG prevê ritmo forte, mas admite usar vantagem

Time mineiro classifica para as semifinais mesmo com um empate por 1 a 1

AE, Agência Estado

29 de maio de 2013 | 15h56

BELO HORIZONTE - O Atlético-MG sabe que o simples fato de jogar em casa nesta quinta-feira, apoiado pela sua fanática torcida na Arena Independência, já é um grande passo para assegurar classificação para as semifinais da Copa Libertadores. Os jogadores atleticanos, porém, alertaram que é preciso buscar a vitória sem afobação diante do Tijuana, do México, e admitem usar de forma inteligente a vantagem de poder até empatar por 0 a 0 ou 1 a 1 neste confronto de volta das quartas de final, tendo em vista os dois gols marcados no duelo de ida, que terminou em 2 a 2.

"A Libertadores é uma competição que você tem que saber jogar e, se tem a vantagem, tem que procurar usar. Vai ser mais um grande jogo, contra uma grande equipe, e vamos jogar como a gente sempre joga em casa, procurando impor nosso ritmo para poder vencer esse grande adversário, mas sabendo que a gente tem alguns trunfos a mais que eles", ressaltou Ronaldinho Gaúcho.

O maior astro da equipe atleticana também enfatizou que o Atlético não pode esquecer que o Tijuana tem um time bem montado e não acredita em um confronto fácil diante do rival, que anteriormente eliminou o Palmeiras, nas oitavas de final, com uma vitória por 2 a 1 na partida de volta, no Pacaembu.

"Faltam poucos jogos para chegar a brigar pelo título. Nosso objetivo é esse, queremos entrar para a história do clube como a primeira equipe a vencer a Libertadores, mas temos consciência de que vai ser muito difícil. Por isso, essa mobilização toda de encarar todos os jogos com muita seriedade. Estando próximo ao objetivo, a motivação só aumenta", disse o craque.

Ronaldinho, entretanto, reconhece que o fator campo pesa muito para os atleticanos. "Continua a mesma tensão, a mesma seriedade. Vamos encontrar uma equipe que joga muito bem e o que a gente tem a nosso favor é a torcida. Com a nossa torcida apoiando, a gente se sente muito forte, então, a torcida vai ser fundamental para que, na quinta-feira, a gente possa fazer um grande jogo", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.