Reprodução/Atlético Twitter
Reprodução/Atlético Twitter

Atlético-MG protesta contra arbitragem e mantém confiança na final: 'Muito vivo'

Com técnico interino, time alvinegro perdeu de um gol de diferença, mas joga partida de volta em casa

Redação, Estadão Conteúdo

14 de abril de 2019 | 19h38

A diretoria do Atlético-MG deixou o Mineirão irritada com a arbitragem e o VAR após a derrota, neste domingo, para o Cruzeiro, por 2 a 1. Recém-contratado, o diretor de futebol Rui Costa fez um pronunciamento após o jogo, o primeiro duelo da final do Campeonato Mineiro, reclamando da arbitragem de Wagner do Nascimento Magalhães.

"Temos que falar de um grande prejuízo que o Atlético-MG teve em vários momentos decisivos da partida. Quero deixar muito claro que estes erros não vão diminuir a grande partida que fizemos", comentou o dirigente.

A reclamação girou em tornou de um lance no final do primeiro tempo. Na visão atleticana, o zagueiro Igor Rabello foi puxado e teria sofrido um pênalti, que não foi revisado pelo VAR e pela arbitragem.

"Parece que há uma miopia. Antes do jogo fomos chamados pelo quarto árbitro para uma pequena palestra. Ele avisou vamos apurar todos os lances, o processo vai durar alguns minutos, não reclamem, não pressionem. Tivemos, na semifinal, três gols anulados contra o Atlético-MG, com 100% de acerto. No jogo mais importante do campeonato houve um lapso, uma pane do VAR. Um lance capital. O Igor não só foi puxado, como também sofreu um golpe de judô, jiu-jitsu, sei lá. Aí não há interpretação. Tudo que ouvimos não foi feito. A revisão não dura dez segundos e ele termina o primeiro tempo", concluiu Rui Costa.

Como teve melhor campanha, o time atleticano precisa de uma simples vitória para ficar com o caneco. O segundo jogo da final será no próximo sábado, às 16h30, sendo que a diretoria do clube optou por mandar o jogo no Independência.

"Clássico é guerra, tem que lutar, é na raça mesmo. Foram os primeiros 90 minutos hoje. Agora tem que estar 100% preparado, porque jogo assim é decidido no detalhe. O Atlético-MG está muito vivo. Não só aqui, mas também na Libertadores", comentou o lateral Guga.

O Atlético entrou em campo na primeira final do Campeonato Mineiro após uma semana turbulenta. Além de ser goleado pelo Cerro Porteño, por 4 a 1, fora de casa, a diretoria também demitiu o técnico Levir Culpi. Neste domingo, Rodrigo Santana, treinador do sub-20 do clube, comandou o time.

"A gente procurou se fechar, tanto fora quanto dentro de campo. Agora é semana cheia para trabalhar, o professor vai corrigir os erros para a gente buscar o título diante nossa torcida", comentou o meia Vinícius, que entrou ainda no primeiro tempo na vaga de Cazares, lesionado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.