Pedro Souza / Atlético
Pedro Souza / Atlético

Atlético-MG protocola reclamação formal contra Anderson Daronco na CBF

Clube mineiro se sentiu prejudicado pelo árbitro por sua atuação no empate em 0 a 0 com o São Paulo, no Mineirão

Redação, Estadão Conteúdo

13 de julho de 2022 | 16h52

O presidente do Atlético-MG e outros dirigentes do clube estiveram na sede da CBF, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira, para entregar uma reclamação formal contra o árbitro Anderson Daronco. O ofício foi entregue em mãos para ser protocolado na entidade, em referência ao desempenho de Daronco na partida contra o São Paulo, no domingo passado, pelo Brasileirão.

A comitiva atleticana entregou, junto com o ofício, um vídeo com lances em que o Atlético teria sido prejudicado naquela partida, que terminou em empate sem gols. O clube também apontou jogadas de outros confrontos válidos pelo Brasileirão. Na avaliação dos dirigentes atleticanos, os supostos erros teriam custado até oito pontos do time de Belo Horizonte.

No jogo de domingo, o Atlético aponta falhas na atuação de Daronco. Para o clube, dois pênaltis não foram marcados a favor do time mineiro. A relação com o árbitro piorou de vez quando o atacante Hulk criticou a postura do juiz ao longo da partida. E relatou uma suposta ameaça de Daronco.

"Quando estava acabando o jogo ele falou assim: 'cuidado com o que você vai falar lá fora". Eu falei 'por quê?', e ele respondeu 'porque não é o último jogo que eu vou apitar de vocês'. Isso é uma ameaça ou não? Eu não sei. Diante dos meus quatro filhos, foi a conversa que eu tive com ele ali", afirmou o jogador.

O diretor de futebol do Atlético, Rodrigo Caetano, também criticou publicamente a atuação de Daronco e prometeu conversar com o novo chefe da comissão de arbitragem, Wilson Seneme. Nesta quarta, Seneme não estava na CBF no momento da visita atleticana. Foi Julio Avelar, diretor de competições, que recebeu o grupo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.