Atlético-MG quer impugnar clássico

O Departamento Jurídico do Atlético-MG anunciou, nesta quarta-feira, que entrou no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com um pedido de impugnação do clássico contra o Cruzeiro, no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro. O clube alvinegro alega que houve irregularidade na escalação do volante Maldonado na partida vencida pelo rival, por 1 a 0. A decisão atleticana foi tomada após a informação de que o Cruzeiro está ameaçado de perder seis pontos e despencar na tabela de classificação do Brasileirão pela suposta escalação irregular do jogador chileno. Maldonado teria atuado contra o Atlético-MG sem as devidas condições legais em decorrência da remarcação de partidas do clube apitadas por Edílson Pereira de Carvalho. Expulso no jogo contra a Ponte Preta, no dia 11 de junho, o volante cumpriu suspensão automática na rodada seguinte. Julgado no último dia 11, ele foi condenado a suspensão de dois jogos e cumpriu o restante da pena no dia seguinte contra o Botafogo, quando servia a seleção chilena. Porém, a partida contra o alvinegro carioca era uma repetição do confronto no primeiro turno do campeonato. Neste caso, a interpretação de juristas é que Maldonado deveria cumprir a suspensão contra o Atlético-MG. ?O STJD soltou uma circular, que foi amplamente divulgada pela CBF, que tratava de todas essas dúvidas. O jogador não cumpre suspensão em jogo remarcado, a não ser que estivesse suspenso na primeira partida, que foi anulada?, disse o presidente do STJD, Luiz Zveiter, em entrevista ao jornal Hoje em Dia, de Belo Horizonte, publicada na terça-feira. Zveiter destacou, porém, que a análise da situação pelo tribunal dependeria de uma denúncia. Fofoca - O superintendente jurídico do Cruzeiro, Ildeu da Cunha Pereira, afirmou que o clube confia que não errou ao escalar o volante. ?O que tem aí, na verdade, é fofoca. O tribunal não se manifestou ainda. Mas nós não temos medo de perder pontos porque entendemos que ele estava em situação regular?. Apesar da convicção, Pereira admite que a legislação ?ficou uma confusão danada?. E, na hipótese de o clube ter errado, ele recorre a um princípio jurídico. ?Tem um princípio no direito penal que diz que, em caso de dúvida, favoreça o réu. O Cruzeiro não agiu de má-fé, agiu de acordo com a legislação da Fifa e não é uma circular, uma decisão do Zveiter que pode penalizá-lo?. O diretor jurídico do Atlético-MG, Roberto Vasconcellos, disse que se baseou num ?arcabouço jurídico? e dispositivos do Estatuto do Torcedor e do código disciplinar da Fifa para entrar com o pedido de impugnação da partida, caso fique caracterizada a escalação irregular.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2005 | 17h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.