Bruno Cantini
Bruno Cantini

Atlético-MG se vê 'proibido' de levar gols para avançar

Equipe enfrentará o São Paulo nesta quarta-feira, pela Libertadores

Ciro Campos, Estadão Conteúdo

18 de maio de 2016 | 12h57

Mesmo confiante na força do estádio Independência e seguro com a qualidade do seu elenco, o Atlético-MG tem uma grande preocupação ao traçar a estratégia para enfrentar o São Paulo, nesta quarta-feira, em Belo Horizonte, pela Copa Libertadores. O time do técnico Diego Aguirre prega que para conseguir a classificação para as semifinais, não será permitido tomar gols.

Com a desvantagem de ter perdido por 1 a 0 na semana passada, no Morumbi, o Atlético-MG se classifica no tempo normal se ganhar por dois gols de diferença. Em caso de vitória por 1 a 0, a decisão da vaga será nos pênaltis. Já se o placar for pela vantagem mínima mas com gols do São Paulo (como 3 a 2 ou 2 a 1, por exemplo), a classificação ficará com a equipe paulista.

"A gente já se beneficiou em outras ocasiões do gol fora de casa também. Sabemos da nossa responsabilidade de fazermos os gols e não sofrer. Temos que ser inteligentes com o regulamento da competição para não sermos prejudicados", disse o goleiro Victor, um dos remanescentes da campanha do título de 2013.

Na temporada seguinte, a equipe se encontrou em situação semelhante. Nas oitavas de final da Libertadores de 2014, perdeu por 1 a 0 para o Atlético Nacional, da Colômbia, fora de casa. Na volta, abriu 1 a 0 no primeiro tempo e em um vacilo no fim da partida, quando tentava o segundo gol para evitar os pênaltis, levou o empate e foi eliminado. Curiosamente, o treinador adversário era Juan Carlos Osorio, que dirigiu o São Paulo por quatro meses em 2015.

Segundo o polivalente Patric, essa necessidade de entrar em campo no Independência sob o risco dos gols sofridos como mandante complicarem o time, coloca mais pressão sobre o elenco. "Faz a gente carregar um peso desnecessário. Temos que tentar aliviar isso, levar alegria para o jogo e tentar ser feliz. Chegou o momento de tentar ser mais leve em campo, porque temos trabalhado bastante", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.