Ari Ferreira
Ari Ferreira

Atlético-MG só empata com o Bragantino e perde chance de se aproximar da ponta

Time mineiro se salva da derrota no Brasileirão ao igualar de pênalti aos 54 minutos do segundo tempo

Leandro Silveira, Estadao Conteudo

11 de janeiro de 2021 | 22h22

O Atlético Mineiro desperdiçou uma boa chance de se aproximar do São Paulo na briga pela liderança do Campeonato Brasileiro. Nesta segunda-feira, marcou nos acréscimos com Hyoran para ao menos salvar um ponto, empatando por 2 a 2 com o Red Bull Bragantino, no interior paulista, em partida válida pela 29.ª rodada. Ricardo Ryller e Edimar, em jogadas aéreas, marcaram para o time da casa, que também foi vazado por Savarino.

Para o tropeço atleticano, pesaram as falhas do sistema defensivo em cruzamentos, mas também a atuação apagada de peças importantes do ataque, como Keno, o que deixou o time previsível, após um início fulminante, mas depois pouco criou, mesmo tendo mais posse de bola e presença no campo de ataque do que o adversário.

Com o empate, o Atlético-MG foi aos 50 pontos, na terceira colocação, a três do Internacional e a seis do São Paulo, sendo que ambos disputaram um jogo a mais. Já o Bragantino, que acabou deixando escapar a terceira vitória seguida, aparece consolidado na zona intermediária da classificação, com 35 pontos, em 13.º lugar, e 6 de vantagem para o grupo do rebaixamento. No próximo domingo, o Atlético-MG vai enfrentar o Atlético-GO, no Mineirão. No mesmo dia, o time paulista visitará o Ceará no Castelão.

O JOGO

O Bragantino, com vários desfalques, apostou em Weverton na lateral direita e em Helinho no ataque, além de ter o retorno do zagueiro Léo Ortiz. Já no Atlético-MG, Sampaoli promoveu a volta de Alan, livre de suspensão, ao meio-campo, além de dar uma chance de início a Alan Franco.

Mas o que mais pareceu funcionar foi a cobrança do treinador argentino para que o time aumentasse o volume de jogo. Ao menos foi o que se viu no minuto inicial, com um disparo de Vargas acertando a trave e outro, de Allan, sendo defendido por Cleiton.

Só que esse ímpeto durou pouco e o jogo esfriou. O time mineiro tinha o controle da posse de bola, mas pouco criava diante do Bragantino, que não conseguia ser perigoso nos contra-ataques. Assim, o primeiro tempo se encaminhava para terminar sem gols. Mas o Bragantino marcou no fim. Em levantamento na área de Helinho, Réver e Guga não conseguiram fazer o corte e Ryller escorou para as redes, aos 45 minutos.

Na volta para a segunda etapa, o Atlético-MG continuou tendo alguma dificuldade na criação com seus pontas. Mas quando isso aconteceu, empatou o jogo. Aos nove, Arana tabelou com Keno e achou Savarino no lado direito da grande área para empurrar às redes: 1 a 1.

O Atlético-MG, empolgado, permaneceu no campo de ataque, mas não conseguia criar. E bastou ao Bragantino tocar a bola no ataque para encontrar espaços e marcar pela segunda vez, em nova falha defensiva em jogada aérea. E quem fez, de cabeça, foi Edimar, aos 21, após cobrança de escanteio por Claudinho.

O gol não alterou muito o cenário do jogo. O Atlético-MG, quase sempre presente ao ataque, não conseguia envolver o Bragantino. Teve uma chance em cobrança de falta de Hyoran. Mas era pouco. Além disso, corria riscos na defesa, tanto que Morato quase marcou o terceiro do time da casa no fim, não fosse a intervenção precisa de Everson.

Nos acréscimos, porém, o Atlético-MG. Em pênalti marcado após consulta ao VAR, de Ramires em Arana, Hyoran deslocou o goleiro Cleiton na cobrança e acertou o canto direito aos 54 minutos, fechando o placar em 2 a 2.

FICHA TÉCNICA:

BRAGANTINO 2 x 2 ATLÉTICO-MG

BRAGANTINO - Cleiton; Weverton (Liggier), Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Raul, Ricardo Ryller (Ramires) e Claudinho; Helinho (Bruno Tubarão), Cuello (Morato) e Ytalo (Chrigor). Técnico: Maurício Barbieri.

ATLÉTICO-MG - Everson; Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Nathan), Alan Franco (Jair) e Hyoran; Savarino, Keno e Eduardo Vargas (Eduardo Sasha). Técnico: Jorge Sampaoli.

GOLS - Ricardo Ryller, aos 45 do primeiro tempo; Savarino, aos 9, e Edimar, aos 21, e Hyoran, aos 54 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Caio Max Augusto Vieira (RN).

CARTÕES AMARELOS - Jorge Sampaoli, Cuello, Fabrício Bruno e Liggier.

LOCAL - Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.