Atlético-MG sofreu ?apagão?, diz técnico

O Atlético-MG conseguiu arrancar um empate dramático por 2 a 2, contra o Corinthians, no final da partida, neste domingo, no Mineirão, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. O Galo saiu na frente, no primeiro tempo, sofreu a virada no início do segundo tempo e conseguiu o empate no final do jogo, em cobrança de falta. Para otécnico Paulo Bonamigo, o time mineiro que continua sem vencer nacompetição, poderia ter vencido se não fosse por causa do "apagão"criado em campo. O treinador credita ao "apagão" o fato de a equipe ter levado doisgols no início do segundo tempo, mesmo tendo terminado o primeiro tempocom o domínio da partida. "Fizemos um bom primeiro tempo. Tínhamos ojogo nas mãos, mas tivemos um ´apagão´ no início do segundo tempo.Sofremos um gol de bola parada e o time se abalou por quinze minutos.Somente no final é que acordamos, mas na base da vontade, quandoconseguimos o gol de empate", explicou o treinador. Autor do gol salvador, o meio-campo Tucho, que entrou no segundotempo, disse que antes da cobrança falta se lembrou do lance que tevediante do Timão no ano passado. "Foi na mesma posição. Na ocasião, ogoleiro era o Rubinho. Cobrei da mesma maneira e tive a sorte de fazernovamente o gol que deu o empate ao Galo. Fico feliz por tercontribuído com o time", declarou. Um dos destaques do Atlético na partida, inclusive citado pelo técnicoOswaldo de Oliveira, o meio-campo Renato lamentou o resultado obtidodentro do Mineirão. "Tivemos sim um ´apagão´ no segundo tempo. Tínhamoso jogo nas mãos e deixamos escapar a vitória. Mas, de maneira geral,jogamos bem. Vamos agora trabalhar para não repetirmos os erroscometidos contra o Corinthians", disse. Mantido no time, depois de ter conseguido efeito suspensivo, o goleiroEduardo destacou a recuperação do time no final do segundo tempo, quandoa derrota parecia próxima. "A equipe mostrou poder de recuperação eespírito de luta. É isso que precisamos nos demais jogos. Com essavontade, tenho certeza que conseguiremos reverter essa situação quevivemos. Não vamos deixar o desânimo tomar conta do grupo", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.