Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Atlético-MG tenta provar fama de 'time da virada' em casa

Time mineiro precisa vencer Colo-Colo por dois gols de diferença

Estadão Conteúdo

22 de abril de 2015 | 07h17

Jogar sob pressão virou rotina no Atlético-MG nos últimos anos e o fato ganhou ainda evidência em 2014, quando o clube se sagrou campeão da Copa do Brasil após reverter placares adversos de forma épica diante de Corinthians e Flamengo. E a equipe voltará a tentar provar, nesta quarta-feira, a sua fama de "time de virada" no jogo decisivo que fará com o Colo-Colo, a partir das 19h45 (de Brasília), no Estádio Independência, em Belo Horizonte, pela rodada final do Grupo 1 da Copa Libertadores.

Com apenas seis pontos ganhos e na terceira posição da chave, a equipe mineira precisa vencer por dois gols de diferença para ultrapassar o próprio rival chileno, que tem nove pontos e três gols a mais de saldo que os atleticanos. Assim, o time de Santiago ocupa a vice-liderança e jogará com o regulamento debaixo do braço para tentar avançar fora de casa.

Para cumprir mais uma dura missão à frente do Atlético, o técnico Levir Culpi tem um trunfo na mãos. A vitória no último domingo contra o Cruzeiro e a classificação à final do Mineiro dão ao time mais confiança e moral para buscar o placar.

"Essa vitória veio na hora certa. Encheu todo mundo de motivação. Temos de ganhar por dois gols, mas acredito muito na classificação", disse Levir depois da vitória no clássico mineiro, de virada, por 2 a 1.

Para o jogo no "Caldeirão do Horto", Levir não poderá contar com o lateral-direito Marcos Rocha e o zagueiro Leonardo Silva, vetados pelo departamento médico. Leandro Donizete está suspenso. Sem os três jogadores, o treinador indicou nesta terça que irá mandar a campo uma equipe bastante ofensiva. Apenas Rafael Carioca foi escalado com características defensivas no trabalho tático de véspera de jogo.

O meia Guilherme, decisivo no clássico do último domingo, foi escalado como titular e Dátolo atuou mais recuado ao lado de Rafael Carioca. Já Luan foi o outro homem de meio-campo, enquanto Carlos e Lucas Pratto formaram a dupla de ataque no treinamento.

Para o lugar de Marcos Rocha, Levir escalará Patric, pois Carlos César, titular da lateral direita contra o Cruzeiro, não está inscrito para esta primeira fase da Libertadores. Edcarlos e Jemerson, por sua vez, formaram a dupla de zaga atleticana.

O Colo-Colo, embora jogue por um empate para se classificar, vem de duas derrotas seguidas por 3 a 0, sendo a última delas para a Universidad Católica pelo Campeonato Chileno, logo após cair pelo mesmo placar diante do Santa Fe, da Colômbia, pela Libertadores. Para completar o momento ruim, o time ainda terá de superar os vários desfalques, entre eles o do goleiro paraguaio Justo Villar, que na semana passada não terminou o jogo diante do Santa Fe por causa de problemas musculares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.