Bruno Cantinani/Divulgação
Bruno Cantinani/Divulgação

Atlético-MG vence e garante título simbólico do 1.º turno do Brasileirão

Com a vitória por 3 a 2 sobre o Botafogo, equipe mineira não pode mais ser alcançada pelos rivais antes da virada

MARCELO PORTELA, Agência Estado

19 de agosto de 2012 | 18h21

BELO HORIZONTE - O Atlético-MG conseguiu manter a boa vantagem na liderança do Brasileirão, ao ganhar de virada do Botafogo, por 3 a 2, neste domingo. E os torcedores que lotaram o Estádio Independência, em Belo Horizonte, assistiram a um duelo eletrizante, com as duas equipes mostrando um futebol aberto e equilibrado durante toda a partida válida pela 18ª rodada da competição.

Com a vitória, o Atlético-MG chegou a 42 pontos e já garantiu o título simbólico de campeão do primeiro turno do Brasileirão mesmo que seja derrotado no clássico contra o rival Cruzeiro no próximo domingo - o segundo colocado Fluminense tem 39 pontos, mas perde nos critérios de desempate. Já o Botafogo fica estacionado nos 27 pontos.

A expectativa neste domingo era de um duelo entre os amigos Ronaldinho Gaúcho e Seedorf, que atuaram juntos no Milan - eles trocaram camisas após o fim do jogo. Mas, apesar de uma boa atuação do botafoguense, foi o atleticano que se destacou mais.

Mesmo jogando fora de casa contra o líder da competição, o Botafogo tentou avançar durante boa parte do primeiro tempo. Mas, ao atacar, o time carioca abria espaço para o toque de bola do Atlético-MG. A equipe mineira bem que tentou se aproveitar dessas brechas e, apesar de uma certa dificuldade de superar a defesa botafoguense, conseguiu finalizar dez vezes apenas na etapa inicial.

Mas foram os visitantes que saíram na frente. Aos 36 minutos do primeiro tempo, Leonardo Silva tentou afastar um cruzamento rasteiro de Elkeson, mas a bola sobrou para Andrezinho na entrada da pequena área. O meia, então, precisou apenas tocar para encobrir o goleiro Victor: 1 a 0. A vantagem botafoguense, no entanto, não durou muito.

Após levar o gol, o Atlético-MG aumento ainda mais a pressão e conseguiu empatar aos 41 minutos. Ronaldinho Gaúcho deu um passe sob medida para Jô, mas o goleiro Jefferson saiu em cima do atacante e conseguiu defender. A bola, no entanto, sobrou nos pés de Escudero, que, mesmo desequilibrado e já quase no chão, conseguiu tocar para a rede.

Com o empate, o time da casa voltou para a etapa final ainda mais animado e entrou em campo pressionando bastante o adversário. Assim, Jefferson chegou a impedir a virada atleticana no começo do segundo tempo, com pelo menos duas boas defesas. Aos oito minutos, porém, ele não teve como salvar o Botafogo. Após uma cobrança de falta ainda no campo defensivo, a bola sobrou para Ronaldinho Gaúcho dentro da pequena área. Ele aproveitou a saída do goleiro e deu passe adocicado para Jô, que encheu o pé e fez 2 a 1.

O Botafogo não se intimidou e, pouco depois, o técnico Oswaldo de Oliveira trocou o meia Lodeiro pelo atacante Rafael Marques. Do outro lado, Cuca também tirou o meia Escudero para colocar o atacante Neto Berola. Essas duas mudanças foram decisivas para o resultado do jogo.

Leonardo Silva fez pênalti em Rafael Marques e Andrezinho marcou seu segundo gol no jogo, empatando para o Botafogo aos 35 minutos. Aí, Neto Berola, que se recuperou de fratura e fez sua primeira partida no Brasileirão, recebeu uma bola perfeita de Carlos César - que também entrou na segunda etapa -, invadiu a área e garantiu a vitória do Atlético-MG aos 43, para a euforia da torcida que lotou o Independência.

ATLÉTICO-MG 3 X 2 BOTAFOGO

ATLÉTICO-MG - Victor; Serginho (Carlos Silva), Réver, Leonardo Silva e Júnior César; Pierre, Leandro Donizete, Escudero (Neto Berola), Bernard e Ronaldinho Gaúcho; Jô. Técnico - Cuca.

BOTAFOGO - Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo (Lima); Amaral, Jadson, Seedorf, Lodeiro (Rafael Marques) e Andrezinho; Elkeson. Técnico - Oswaldo de Oliveira.

GOLS - Andrezinho, aos 35, e Escudero, aos 41 minutos do segundo tempo; Jô, aos oito, Andrezinho (pênalti), aos 35, e Neto Berola, aos 43 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Anderson Daronco (RS).

CARTÕES AMARELOS - Pierre, Escudero, Leonardo Silva, Lodeiro e Elkeson.

RENDA - R$ 723.495,00.

PÚBLICO - 19.903 pagantes.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.