Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Atlético-MG e Flamengo decidem Supercopa em clima quente e pressão nos técnicos

Decisão ocorre na Arena Pantanal, em Cuiabá, neste domingo, às 16h

Fábio Hecico, Estadão Conteúdo

20 de fevereiro de 2022 | 07h35

A primeira decisão do ano entre clubes do País já vai colocar à prova o quão Antonio Mohamed e Paulo Sousa terão paz para desempenhar seu trabalho com Atlético-MG e Flamengo, respectivamente, que se enfrentam às 16 horas para definir o título da Supercopa do Brasil. A decisão ocorre na Arena Pantanal, em Cuiabá, e promete ser em clima bastante elevado e nada amistoso após troca de farpas e acusações entre os dirigentes.

Campeão brasileiro e da Copa do Brasil, o Atlético-MG queria algum privilégio - a Supercopa reúne sempre o dono desses títulos da temporada passada. Mas não conseguiu nem escolher o palco do jogo, como sugeria o diretor de futebol Rodrigo Caetano. A escolha da CBF em levar a partida para Cuiabá não foi bem aceita e os mineiros ainda acusaram o rival de ter sido informado antes. O presidente Sérgio Coelho mandou até um ofício de protesto a usando os cariocas de estarem sendo beneficiados.

A bronca acabou virando bate-boca. O vice jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee, postou que pessoas "falavam muita besteira" e não "deveriam receber atenção". O presidente retrucou chamando-o de "bobo da corte". Com essa rivalidade aflorada, a pressão sobre os treinadores em buscar o troféu aumentou consideravelmente. O título seria a resposta para as polêmicas.

Antonio Mohamed vive situação mais tranquila em Belo Horizonte. Mas sabe que o time pode render mais após vitórias sofridas nas duas últimas rodadas do Mineiro contra rivais mais duros. Fez 2 a 0 no América-MG com gols no fim e só superou o Athletic com pênalti nos acréscimos. "Sei muito da rivalidade e estou muito comprometido com a instituição, com a camisa. Vamos fazer de tudo para ganhar essa copa", enfatiza o técnico argentino. 'El Turco' garante que o Atlético-MG entrará forte e bem preparado para a busca do título.

"É um rival difícil, que vai sair para propor o jogo. E nós vamos sair também, com nossas armas, pois também temos nossas forças. Creio que será uma final que será definida em pequenos detalhes e chegamos muito bem fisicamente para a decisão, descansados e preparados", disse o treinador.

Depois de rodar bastante o elenco, descontando peças importantes no Mineirão, inclusive, Antonio Mohamed vai usar na final sua escalação ideal do Atlético-MG. Ele não revela quais são suas escolhas, mas promete time ousado, veloz e forte na Arena Pantanal.

Menos tranquilo por causa da alternância de comportamento do Flamengo, Paulo Sousa sabe que não pode deixar escapar o título para ter tempo para implementar suas ideias no Brasil. O português até agora não definiu time e esquema no Flamengo e há quem defina sua equipe como um "catadão". O português insiste em usar um falso 3-4-3 com o lateral-esquerdo Filipe Luís fazendo papel de falso terceiro zagueiro, e ainda não definiu seu time ideal, o que vem causando certo incômodo no torcedor. O técnico diz estar buscando o melhor para a equipe e, ao invés de peitar as cobranças da torcida, aposta justamente na força vinda das arquibancadas - todos os 31.219 ingressos foram vendidos antecipadamente.

"Com certeza será um jogo digno de final. A nossa grande vantagem pode não ser os processos, mas é a nossa nação, que vai estar conosco e vai nos ajudar, nos empurrar para aquilo que pretendemos fazer sempre, que é vencer e trazermos a taça para o Rio", ponderou o português.

O duelo ainda reunirá dois grandes artilheiros do Brasil em 2021. Gabriel Barbosa fez 37 gols, sendo três pela seleção brasileira, enquanto Hulk veio logo atrás, com 36, todos pelo clube mineiro.

"Temos que aproveitar o momento, temos um excelente time, uma excelente gestão, tudo para continuar escrevendo uma linda história. A gente vai em busca desse título", afirmou Hulk, que tenta incendiar todo o elenco do Atlético-MG com discurso inflamado.

"Eu acho que ser ambicioso e querer ganhar mais não é não ter humildade, e sim querer buscar mais. Eu passei para os jogadores que temos que manter nossa humildade, trabalhar, sempre respeitando o adversário. Sempre ambiciosos em querer ganhar mais. Não vamos ficar satisfeitos porque entramos para a história do Galo com o Brasileiro depois de 50 anos, com a tríplice coroa inédita..."

Enquanto o veterano de 35 anos mantém o foco apenas na decisão, Gabriel tem de dividir treinos com depoimento - teve de falar com o tribunal carioca por causa de ofensas racistas no clássico com o Fluminense. Ele evitou comentar sobre a decisão, mas postou novamente frase contra o preconceito. "Não vão nos calar." Ele usa as provocações como incentivo.

O camisa 9 rubro-negro é presença certa na Arena Pantanal. A dúvida está em quem aparecerá do seu lado. Bruno Henrique tem grandes chances, com Arrascaeta completando o trio. Andreas Pereira e Willian Arão estarão no meio-campo. Éverton Ribeiro pode ir para a reserva.

A conquista, além de tranquilidade para a temporada, vai render um bom reforço para o caixa do campeão. Em 2021, o Flamengo embolsou R$ 5 milhões após bater o Palmeiras nos pênaltis, no Mané Garrincha. A premiação deve ser mantida pela CBF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.