Atlético pega Goiás e torce contra rivais

O técnico do Atlético-MG, Procópio Cardoso, considera que a equipe mineira está em pior situação na briga pelas duas últimas vagas brasileiras na Copa Libertadores do ano que vem. Dos quatro clubes que ainda lutam para disputar a competição sul-americana em 2004, o Galo é o único que depende de outros resultados. Além de derrotar o Goiás, no próximo sábado, em Ipatinga (MG), o Atlético precisa torcer para que São Caetano e Coritiba não vençam seus jogos.Procópio, no entanto, iniciou a semana tentando motivar seus atletas e disse que espera que os jogadores ressuscitem a "velha garra" alvinegra."Nós temos de resgatar aquela velha garra, aquela velha determinação, não importa o adversário, não importa a situação", recomendou. "De todos que estão buscando a vaga, a nossa (situação) é a pior, mas isso não quer dizer que estamos de fora, vamos lutar".O Galo está em sétimo lugar na tabela de classificação, com 69 pontos, e manteve acesa a esperança de participar da Libertadores após o trunfo sobre o Vitória, em Salvador, no último sábado. Mesmo atuando com um jogador a menos por mais de 70 minutos, o time de Procópio venceu a equipe baiana por 1 a 0.Apesar de ressaltar que considera o Goiás uma das "melhores equipes do segundo turno" do Campeonato Brasileiro, o treinador quer que os atletas encontrem uma "motivação bem maior" na próxima rodada. "Nós temos de cuidar da nossa parte e esquecer os outros resultados", destacou.Procópio acredita que terá diante dos goianos a partida mais difícil desde que assumiu o cargo, após a saída de Marcelo Oliveira. Para ele, a surpreendente derrota em casa, por 3 a 0, para o Figueirense, no último domingo, deve ser encarada como um "deslize" do time do atacante Dimba."Acho que foi excesso de confiança, mas (o Goiás) deverá jogar contra o Atlético com sua habitual competência", previu.No próximo jogo, o técnico atleticano não terá os meio-campistas Genalvo e Hélcio. Os dois cumprem suspensão automática. Genalvo foi expulso e Helcio levou o terceiro cartão amarelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.