Fernando Vergara|AP
Fernando Vergara|AP

Atlético-PR bate Millonarios nos pênaltis e avança na Libertadores

Estrela de Weverton e experiência ajudam time na classificação

Gabriel Melloni, Estadao Conteudo

09 Fevereiro 2017 | 00h10

Foi suado, nos pênaltis, mas o Atlético-PR garantiu vaga na terceira e última fase preliminar da Libertadores nesta quarta-feira. Depois de vencer por 1 a 0 na ida, na Arena da Baixada, a equipe brasileira caiu pelo mesmo placar em Bogotá, resultado que levou a disputa para as penalidades. Então, a estrela de Weverton e a experiência do time paranaense, que não errou nenhuma cobrança, fizeram a diferença.

Com o resultado, o Atlético-PR fica a apenas um confronto de avançar à fase de grupos da Libertadores. No próximo estágio preliminar, a equipe terá pela frente o vencedor do confronto entre Deportivo Capiatá-PAR e Universitario-PER - os peruanos venceram na ida por 3 a 1, mesmo no Paraguai. Se avançar, entrará na chave 4 do torneio, ao lado de Flamengo, San Lorenzo e Universidad Católica.

Nesta quarta, o Atlético-PR aceitou o jogo do Millonarios em alguns momentos e foi castigado com o belo gol de Duque. Aí, Weverton mostrou a capacidade de pegar pênaltis que já havia o consagrado na Olimpíada. Também fez diferença a experiência do elenco montado por Paulo Autuori para a competição, já que os quatro jogadores que cobraram e marcaram para o time brasileiro foram contratados para esta temporada: Jonathan, Grafite, Carlos Alberto e Felipe Gedoz.

O JOGO

Se foi dominado em boa parte do confronto de ida, o Atlético-PR começou bem nesta quarta. A equipe soube se postar em campo e até chegou primeiro. Aos dois minutos, Nikão cruzou da direita, Pablo subiu sozinho dentro da área e cabeceou firme, mas Vikonis fez boa defesa.

O Millonarios não conseguia encontrar espaço na defesa adversária. A tentativa, então, passou a ser nos cruzamentos para a área e nos chutes de fora. Aos 18, Del Valle cobrou falta de longe e dificultou para Weverton. Cinco minutos depois, Rojas teve liberdade para arriscar e jogou perto do travessão.

Em um cochilo defensivo atleticano, o Millonarios criou sua melhor chance no primeiro tempo aos 36 minutos. Após cruzamento da direita, Jonathan ficou observando e Quiñonez subiu para cabecear firme. Weverton voou para espalmar. Apenas um minuto depois, o mesmo Quiñonez apareceu sozinho pela esquerda e bateu cruzado. A bola cruzou toda a pequena área brasileira.

O segundo tempo começou como o primeiro, e o Atlético-PR voltou a mostrar tranquilidade para controlar o adversário. Logo com um minuto, quase abriu o placar com Carlos Alberto, que recebeu pela intermediária, ajeitou e encheu o pé rente à trave.

A resposta do Millonarios veio aos nove, novamente em chute de fora da área que levou perigo. Mas aos 13, o ataque colombiano finalmente funcionou. Núñez fez bela jogada pela direita e tocou. Otávio cortou, mas a bola sobrou para Duque, que invadiu a área, deixou Sidcley no chão e bateu cruzado, sem chance para Weverton.

Foi o suficiente para a torcida inflamar e o Millonarios ganhar o campo de ataque. Sem resposta do Atlético-PR, os colombianos foram à frente, mas seguiam com problema na criação. Aos 23, Del Valle recebeu sozinho dentro da área e tocou na saída de Weverton. O auxiliar assinalou impedimento duvidoso. Aos 36, foi a vez de Mosquera ter gol anulado pelo árbitro, desta vez corretamente.

Diante da inoperância do ataque dos donos da casa e da incapacidade do Atlético-PR de sair da defesa, o jogo se arrastou até os pênaltis. Nas cobranças, a experiência dos brasileiros fez a diferença. Jonathan, Grafite, Carlos Alberto e Felipe Gedoz converteram as quatro cobranças da equipe. Weverton pegou o chute de Franco, e Núñez acertou o travessão, dando a vaga aos visitantes.

FICHA TÉCNICA:

MILLONARIOS 1 (2) X (4) 0 ATLÉTICO-PR

MILLONARIOS - Vikonis; Jair Palacios, Pedro Franco, Cadavid e Deiver Machado; Henao (Barreto), Henry Rojas (Hinestroza), Jhon Duque e Quinones (Mosquera); Maximiliano Núñez e Ayron Del Valle. Técnico: Miguel Ángel Russo.

ATLÉTICO-PR - Weverton; Jonathan, Paulo André, Wanderson e Sidcley; Otávio, Lucho González (Matheus Rossetto), Carlos Alberto e Nikão (Felipe Gedoz); Pablo e Grafite. Técnico: Paulo Autuori.

GOL - Jhon Duque, aos 13 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Julio Bascuñán (Fifa/Chile).

CARTÕES AMARELOS - Cadavid, Jhon Duque (Millonarios); Otávio, Jonathan (Atlético-PR).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio El Campín, em Bogotá (Colômbia).

Mais conteúdo sobre:
Atlético-PR futebol Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.