Atlético-PR cobrará R$ 15 mil por transmissão radiofônica

Rádios que quiserem transmitir os jogos do clube no Campeonato Brasileiro terão de abrir os cofres

Evandro Fadel, O Estado de S. Paulo

10 de abril de 2008 | 19h10

As rádios que quiserem transmitir os jogos do Atlético Paranaense no Campeonato Brasileiro, tanto os que serão realizados em Curitiba quanto aqueles fora da capital paranaense, terão que pagar R$ 15 mil por partida. Em comunicado publicado nesta quinta-feira em seu site, o clube ainda colocou à disposição dos interessados um pacote com todos os 38 jogos ao preço de R$ 456 mil. Segundo o clube, somente a transmissão integral está sujeita às regras, continuando abertos "flagrantes do evento". De acordo com a diretora de Comunicação do Atlético, Luciana Pombo, a Lei Pelé garante o direito de imagem, no artigo 42. "O Atlético entende que a marca é imagem", disse. Ela salientou que o debate sobre a regulamentação das rádios, diferentemente do que aconteceu com as televisões, não vinha acontecendo. "Nós entendemos, no entanto, que não há retorno", afirmou. De acordo com Pombo, os valores foram definidos levando-se em conta o que já é pago pelas televisões e os valores de permutas com rádios para uso da infra-estrutura dos estádios. O presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Daniel Pimentel Slaviero, considerou "esdrúxula, absurda e ilegal" essa decisão. Ele contestou o entendimento que o clube deu à Lei Pelé. "Ela trata só de direito de imagem e a transmissão radiofônica não está nisso", disse. Segundo Slaviero, outras iniciativas isoladas de clubes e federações não se sustentaram na Justiça. "Nós vamos tentar, no diálogo, contestar essa tese, do contrário vamos à Justiça", afirmou. Ele disse que qualquer ação será feita em acordo com a Associação de Emissoras de Rádio do Paraná.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.