Miguel Locatelli/Atlético-PR
Miguel Locatelli/Atlético-PR

Atlético-PR defende vantagem contra Flu para ir à final da Sul-Americana

Time paranaense venceu jogo de ida por 2 a 0; cariocas não fizeram gols nos últimos sete jogos

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2018 | 05h00

Em momentos distintos na reta final da temporada 2018, Fluminense e Atlético Paranaense se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45, no Maracanã, para definir um dos finalistas da Copa Sul-Americana. O mando é do clube carioca, mas a vantagem está com o clube curitibano, que triunfou no confronto de ida, na Arena da Baixada, por 2 a 0.

Esse resultado dá para o Atlético-PR o conforto de lidar com a possibilidade de perder por até um gol de diferença para se garantir na decisão da Sul-Americana, competição em que a sua melhor campanha tinha sido alcançada em 2006, quando parou exatamente nas semifinais. Já o Fluminense até disputou uma vez e decisão, mas acabou sendo batido em 2009 pela LDU.

O Atlético-PR entra em campo descansado. Afinal, no fim de semana o técnico Tiago Nunes poupou os titulares diante do Ceará. O empate por 2 a 2 deixou o time sem depender das suas forças para assegurar a classificação à Copa Libertadores através do Campeonato Brasileiro, mas a possibilidade de consegui-lo na Sul-Americana segue sendo real, com a conquista do título, o que seria ainda mais valorizado.

Apesar da vantagem, o Atlético-PR manterá uma formação ofensiva para o duelo no Maracanã, pois os gols marcados como visitante são um importante critério de desempate. Assim, o time atuará com o trio ofensivo formado por Marcelo Cirino, Nikão e Pablo. E confiará na experiência do argentino Lucho González para controlar o meio-campo. Os únicos desfalques são os lesionados Bruno Nazário e Guilherme.

Já no Fluminense, o clima é o pior possível. O time sofre fora de campo com a crise política, está com os salários atrasados e disputará a rodada final do Brasileirão, no domingo, correndo risco de rebaixamento. E completou com a derrota para o Internacional, no fim de semana, o sétimo compromisso sem vitórias e gols, algo que precisa para ir à final da Sul-Americana.

O cenário levou o presidente Pedro Abad fazer um apelo aos torcedores do Fluminense, em busca de apoio, para evitar uma tragédia no Brasileirão e obter a classificação no torneio continental. Além disso, o zagueiro Gum lembrou que o cenário da equipe pode se alterar rapidamente, em um modo de tentar levantar a abalada confiança dos seus companheiros.

"Depois desses dois jogos podemos tirar essa impressão ruim e estar comemorando. Conseguindo fazer esses resultados, a semana que vem vai ser totalmente diferente, com a perspectiva de terminar o ano bem e com título", afirmou Gum, que retorna ao time, assim como o goleiro Julio Cesar. Mas a lista de desfalques é grande e conta com Airton, Ibañez, Pedro, Gilberto, De Amores e Pablo Dyego.

O classificado do confronto brasileiro fará a final da Sul-Americana contra um clube colombiano: Atlético Júnior ou Santa Fe, que perdeu o primeiro duelo, em casa, por 2 a 0. O segundo compromisso será na quinta-feira.

REVELAÇÕES

Atlético-PR e Fluminense fazem um confronto cheio de jogadores que podem ser envolvidos em negociações na próxima janela de transferências. Na equipe paranaense, os mais visados são o atacante Pablo, assim como goleiro Santos, o meia Raphael Veiga, o volante Bruno Guimarães, o zagueiro Léo Pereira e o lateral Renan Lodi. No Fluminense, três nomes são especulados como prováveis negociações em 2019: Pedro, que se recupera de lesão, o lateral Ayrton Lucas e Marcos Paulo, que ainda busca uma chance no time principal.

Ao longo dos anos, o Atlético-PR vem destacando na revelação de talentos com os investimentos no CT do Caju. As receitas para investimento em infraestrutura vieram exatamente da venda das dezenas de jogadores exportados. A lista inclui Kleberson, Fernadinho, Jadson, Lucas, Otávio, Paulo André, Lima, Nathan, Oséas, Paulo Rink, Manoel, Dagoberto, Douglas Coutinho, Marcelo Cirino, Kleber Santana, entre outros.

"O Atlético-PR sempre se caracterizou por ser um clube formador, é assim desde que assumimos", afirma Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-PR.

O time tricolor tem como ponto forte a estrutura de Xerém, saíram estrelas como Roger, Digão, Marcelo, Gerson, Thiago Silva, Fabinho, Wellington Nen, Scarpa, Kenedy e Wendel.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.