Atlético-PR empata, mas ainda é o líder

O Atlético Paranaense mostrou muitas deficiências táticas hoje à tarde, na Arena da Baixada, em Curitiba, foi dominado em praticamente todo o jogo pelo Paraná Clube, e o empate por 1 a 1 acabou sendo bom para o líder da competição, apesar de o adversário ter marcado seu gol aos 45 minutos do segundo tempo. Irreconhecível em campo, parecia que era o Atlético que estava no desespero para deixar a zona de rebaixamento e não o Paraná Clube, que ainda permanece lá com 38 pontos. O Atlético mantém a liderança com 69 pontos, um a mais que o Santos. O técnico do Atlético, Levir Culpi, preferiu jogar a culpa no árbitro Paulo César de Oliveira. No início do jogo parecia que até mesmo os jogadores foram surpreendidos com o mistério que Culpi insistiu em manter até quase o começo da partida. A surpresa foi a entrada do lateral Raulen com o deslocamento de Fernandinho para o meio-de-campo, sua posição original. Mas taticamente o líder da competição estava perdido. Ao contrário, o técnico do Paraná Clube, Paulo Campos, colocou o volante Goiano na lateral-direita e não permitiu os avanços do lateral atleticano Ivan. Com vontade de deixar a zona de rebaixamento da competição, o Paraná Clube agradeceu o desarranjo tático do adversário e começou a forçar as jogadas nas costas de Raulen. Era o visitante que colocava pressão, tomando conta do meio-de-campo, onde cinco jogadores movimentavam-se constantemente, deixando apenas Galvão na frente. E o Atlético mantinha três zagueiros presos em sua área. O segundo tempo transcorria no mesmo ritmo, com o Atlético jogando abaixo de seu potencial. Mas, se não acertava no conjunto, o time da casa contava com seus valores individuais, principalmente o meia Jadson. E foi ele quem iniciou a jogada do gol, aos 12 minutos, passando para Denis Marques. Este chutou a bola na trave e, na volta, o próprio Jadson completou para o gol. O Paraná sentiu o golpe e somente voltou a procurar o ataque aos 30 minutos, quando Vandinho perdeu uma boa chance. Prevendo que a pressão viria, Levir Culpi abdicou do ataque e procurou garantir o resultado, mas o time não suportou o sufoco e, aos 45 minutos, Messias empatou chutando de longe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.