Atlético-PR goleia Corinthians por 5 a 0

Foi a terceira goleada em poucas semanas na Série A do Campeonato Brasileiro, desta vez, por 5 a 0. O Corinthians não teve qualquer esboço de reação diante do Atlético Paranaense, hoje no Pacaembu e, a exemplo do que acontecera nos jogos contra o Palmeiras e o Grêmio (dois 4 a 0), foi goleado. No primeiro tempo, o Corinthians ficou com a bola 65% do tempo, contra 35% do Atlético. O time paranaense chutou três bolas ao gol de Fábio Costa e as três entraram. O Corinthians tocou bola, tocou bola e, na verdade, só ameaçou mesmo com dois chutes de longe, um de Coelho (aos 5 minutos de jogo) e outro de Wendel (aos 44 minutos), os dois muito bem defendidos pelo goleiro Diego. Entre esses dois chutes, o que se viu foi um Corinthians sem saber o que fazer para furar a boa marcação dos paranaenses, que saíam sempre com perigo em contra-ataques. Em um deles, aos 25 minutos, Ilan entrou na área pela meia esquerda e tentou cruzar, a bola bateu em Valdson e voltou para Ilan que recuou para Jadson, que entrava sozinho na área, também pela meia esquerda. Ele bateu de primeira, no canto direito de Fábio Santos. Como tem acontecido nesta temporada com o Corinthians, o time se abateu e no minuto seguinte, desta vez pela direita, Raulen passou a Fernandinho, que deu a Jadson dentro da área. Ele se livrou de dois corintianos e chutou cruzado, à direita de Fábio Costa, fazendo 2 a 0. Mais nove minutos e foi a vez de Dagoberto aproveitar uma saída de bola errada da defesa corintiana, entrar pela direita e chutar cruzado entre a trave esquerda e o goleiro Fábio Costa. 3 a 0 e um Corinthians desnorteado em campo. Nada mudou no segundo tempo. Ou melhor, era nítida a intenção do Atlético de não se expor e conservar o resultado. Nem precisava, a ineficiência do Corinthians era a mesma. E, sem muito esforço, o time paranaense chegou ao quarto gol, aos 14 minutos, na cobrança de uma falta de Betão em Dagoberto, na meia-lua da área corintiana. Jádson bateu forte, no ângulo esquerdo. Fábio Costa nem se mexeu. O goleiro corintiano, porém, correu atrás de um torcedor que entrou no campo, aos 17, e só não bateu nele porque foi seguro por Rogério e o técnico Oswaldo de Oliveira. Outros dois torcedores entrariam, aos 33. E, no final, a torcida entrou em confronto com a polícia, antes de ver Dagoberto, aos 41, fazer o quinto gol paranaense. Triste fim para mais uma péssima exibição do time. E prenúncio de mais uma semana de crise no Parque São Jorge.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.