Atlético-PR na final da Libertadores

O Atlético Paranaense é finalista da Copa Libertadores após empatar por 2 a 2 contra o Chivas, em Guadalajara, no México, nesta quinta-feira à noite. E a decisão pelo título contra o São Paulo (que passou pelo River Plate) é inédita: é a primeira vez que o time paranaense chega à final e também é a primeira vez que dois times do mesmo país se enfrentam na última fase.O título de campeão da temporada será decidido em duas partidas: nos dias 6 e 13 de julho, com o primeiro jogo com o mando do Atlético (em local a ser definido ainda, pois depende do estádio - a Arena da Baixada não tem capacidade para 40 mil espectadores) e o segundo jogo em São Paulo (SP), no Estádio do Morumbi. O critério de desempate agora muda: em caso de empate por pontos e saldo, a decisão será na prorrogação (normal, sem gol de ouro) e nos pênaltis, se necessário. Os gols fora de casa não tem mais peso.A partida - As duas equipes tiveram boas chances de marcar gols, mas o time da casa sempre foi mais perigoso , com os jogadores atleticanos errando muitas finalizações e chegando até a acertar a trave, logo aos nove minutos do primeiro tempo com Fabrício, em cobrança de falta.Depois disso Chivas partiu para cima de vez. O maior susto foi aos 22 minutos, com Morales cobrando escanteio e Medina finalizando na pequena área, mas Diego espalmou e a bola bateu no travessão. Dois minutos depois, porém, o time mexicano conseguiu marcar o gol com Palencia, aproveitando cruzamento na área.Com a vantagem no placar, a pressão só aumentou. E Palencia, Bravo, Sol e companhia continuaram a errar nas finalizações, demonstrando nervosismo. O Atlético, na defesa e tentando sair nos contra-ataques, também errava. Foi assim no restante do primeiro tempo e em boa parte do segundo.O jogo continuou aberto e o empate demorou, mas saiu aos 22 minutos. Num rápido contra-ataque, o time paranaense finalmente acertou uma seqüência de toques, culminando com Marcão pela esquerda cruzando rasteiro para Lima, sozinho no centro, só tocar para o gol. Aos 35, em outro contra-ataque, Lima avançou e driblou o zagueiro, chutando rasteiro e garantindo a virada brasileira para 2 a 1.Depois disso o Atlético fez o possível para esfriar o jogo, tentar fazer o tempo passar. Mas o Chivas ainda conseguiu um pênalti, cometido por Cocito e convertido em gol por Palencia, aos 40 minutos. O empate por 2 a 2 garantiu a vaga na final, graças à vitória atleticana por 3 a 0 no jogo de ida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.