Atlético-PR nega oferta ao Vasco

O Atlético-PR não fez e nunca fará uma oferta ao Vasco. Isso é o que o time paranaense afirma sobre a acusação do presidente do clube carioca, Eurico Miranda, de ter recebido uma oferta de R$ 1 milhão para os jogadores vascaínos se empenharem mais na partida contra o Santos, e não entregarem o jogo que pode dar o título ao time paulista. A diretoria do Atlético negou qualquer tentativa de negociação e repudiou as afirmações de Miranda. Em uma entrevista à radio local, o presidente do Conselho Gestor, João Rocha Fleury, disse que não mandou nenhum emissário. ?O Atlético não entra nesse jogo. Esse expediente tem sido usado por nossos adversários, que estão oferecendo algum tipo de compensação financeira para que outras equipes tirem pontos de nós. Qualquer tipo de declaração nesse sentido será repudiada. Não partiremos para nenhum expediente extra-campo?, disse o dirigente. Para Fleury essas atitudes apenas criam um clima favorável ao Santos e aproveitou para defender o meia Morais, ex-atleta vascaíno que defende o Atlético-PR r foi acusado de intermediar a suposta negociação. ?Eu acredito que está sendo preparado um clima para que o Santos possa vencer seu adversário sem maiores dificuldades. Eu sei que o Morais tem bom relacionamento no Vasco, pois é oriundo do clube e tem o direito de se manifestar como cidadão. Havendo dinheiro em nossos caixas cabe distribuir àqueles que trabalham pelas cores do Atlético. O Vasco tem que cuidar da vida dele." Na opinião de Morais, suas declarações após o jogo foram mal interpretadas. "Aconteceu que após o jogo disse ao Igor, o Coutinho, Thiago Maciel, vocês deram a vida contra a gente. Se vocês tivessem essa união com a torcida estariam numa posição melhor. Eu pedi apenas em nome da minha amizade. Joguei no Vasco seis anos. Isso são coisas extra-campo, minha parte é no campo, deixo para lá. Precisamos fazer a nossa parte contra o Botafogo?, afirmou. Com relação à premiação dos seus próprios jogadores pela campanha no Brasileirão, o presidente do Atlético não quis se manifestar. Segundo ele, esse assunto é interno e ele irá respeitar a cláusula do acordo entre a diretoria e os jogadores que pede sigilo sobre o assunto. ?Não iremos falar nada sobre isso para respeitar a cláusula?, disse. Mesmo com chances reduzidas de conquistar o campeonato, o Atlético espera o apoio de sua torcida, sendo que cerca de 15 mil já foram vendidos. A equipe realiza um treino tático na tarde desta quinta-feira e em seguida entra em regime de concentração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.