Rodolfo Buhrer/Reuters
Rodolfo Buhrer/Reuters

Atlético-PR passa pelo Bahia nos pênaltis e encara o Fluminense na semifinal

Time paranaense perde por 1 a 0 no tempo normal e avança na Sul-Americana nas penalidades

Estadão Conteúdo

01 Novembro 2018 | 00h22

O Atlético-PR foi derrotado pelo Bahia por 1 a 0, nesta quarta-feira, e perdeu a sequência de 12 vitórias seguidas em casa, a maior da história da Arena da Baixada, mas a torcida saiu fazendo a festa. Isso porque, após disputa por pênaltis, a equipe paranaense se classificou para as semifinais da Copa Sul-Americana ao vencer por 4 a 1.

O jogo de ida, na Fonte Nova, em Salvador, terminou com vitória do Atlético-PR pelo mesmo placar. Com a devolução do resultado nesta quarta, o confronto foi para a disputa de pênaltis, e aí os jogadores do time rubro-negro foram bem mais competentes.

Mais cedo, o Fluminense também garantiu sua classificação com vitória por 1 a 0 sobre o Nacional, do Uruguai. Assim, teremos um confronto entre Atlético-PR e Fluminense na semifinal e, consequentemente, uma equipe brasileira estará na decisão.

O Atlético-PR foi superior no primeiro tempo desta quarta e criou as principais jogadas de perigo, enquanto o Bahia jogava no contra-ataque. Nas melhores chances da equipe da casa, Pablo parou no goleiro Douglas Friedrich, Raphael Veiga finalizou duas vezes para fora e Marcelo Cirino teve boa chance, mas foi travado por Lucas Fonseca na hora do chute.

A resposta do Bahia, já aos 46 minutos, foi fatal. Léo levantou a bola para a área em cobrança de lateral, Nilton desviou e o zagueiro Douglas Grolli esticou a perna e completou para o fundo das redes, marcando o gol que levaria a decisão para os pênaltis.

A segunda etapa foi mais estudada, com os dois times com receio de se abrirem demais e sofrerem um gol que deixaria a situação difícil de ser revertida. O Atlético-PR ainda tinha mais posse de bola, mas sem o mesmo ímpeto ofensivo do primeiro tempo, trabalhando de pé em pé ao invés de buscar o gol a todo momento. Sem que o placar voltasse a ser movimentado, a decisão foi mesmo para os pênaltis.

O time da casa foi muito mais competente na disputa das penalidades máximas e garantiu sua classificação convertendo todas as quatro cobranças, com Jonathan, Raphael Veiga, Lucho González e Pablo.

Vinícius, que parou em defesa de Santos, e Zé Rafael, que bateu para fora, desperdiçaram as duas primeiras cobranças do Bahia. Edigar Junio foi o único do time visitante que marcou. Final: 4 a 1.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-PR 0 (4) X (1) 1 BAHIA

ATLÉTICO-PR - Santos; Jonathan, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington (Bruno Guimarães), Lucho González, Nikão (Bergson) e Raphael Veiga; Marcelo Cirino (Rony) e Pablo. Técnico: Tiago Nunes.

BAHIA - Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Flávio, Nilton, Elton (Gregore), Zé Rafael e Élber (Vinícius); Júnior Brumado (Edigar Junio). Técnico: Enderson Moreira.

GOL - Douglas Grolli, aos 46 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Diego Haro (Peru).

CARTÕES AMARELOS - Renan Lodi e Bruno Guimarães (Atlético-PR); Léo, Zé Rafael, Élber e Vinícius (Bahia).

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 21.977 torcedores.

LOCAL - Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.