Atlético-PR perde e é eliminado da Sul-Americana

Em jogo emocionante, equipe leva 4 a 3 na Arena e perde última chance de conquistar um título no ano

Evandro Fadel, O Estado de S. Paulo

30 de setembro de 2008 | 23h58

O Chivas Guadalajara, do México, garantiu a classificação às quartas-de-final da Copa Sul-Americana ao vencer o Atlético Paranaense por 4 a 3, nesta terça-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba. O time paranaense tinha conseguido um empate por 2 a 2 no primeiro jogo, no México, quando atuou com os reservas e se beneficiaria com um empate até por 1 a 1. Mas os titulares, que estão sofrendo para permanecer na Série A do Campeonato Brasileiro, erraram muito e deixaram o time fora da competição. Veja também: Resultados e calendário da Sul-Americana Apesar de o empate já garantir a classificação, o Atlético começou a partida dando mostras de que queria vencer o jogo e quase conseguiu marcar em uma cabeçada de Pedro Oldoni, aos 4 minutos, mas o goleiro Hernandez fez grande defesa. O time saiu para a pressão, poderia ter marcado, mas ficou apenas nas tentativas. Mesmo com o apoio da torcida, a partir da metade do primeiro tempo, os jogadores passaram a segurar a bola, dando-se por satisfeitos com o empate. Era o que o Chivas mais queria, pois facilitava a proposta de marcação e ainda permitia que os jogadores saíssem para tentar alguma coisa no ataque. No primeiro ataque bem concatenado, os mexicanos abriram o placar, aos 42 minutos. Numa falha de marcação da defesa atleticana, Pineda entrou livre e cabeceou a bola para vencer Vinícius. "Numa bobeira da gente os caras conseguiram marcar", lamentou o zagueiro Rhodolfo. Mas as bobeiras têm sido constantes na zaga atleticana neste ano. E, aos 5 minutos da segunda etapa, novamente o Chivas aproveitou uma falha e Baez marcou o segundo. Com as alterações feitas por Geninho, o time paranaense ganhou em velocidade e, aos 12, depois de cobrança de falta, Rafael Moura diminuiu. A torcida até acreditou que o Atlético poderia virar o placar, mas o zagueiro Danilo perdeu na corrida e permitiu o terceiro gol, marcado por Arellano, aos 18 minutos. Os jogadores nem tinham assimilado esse gol, quando Santana cobrou uma falta com perfeição, marcando o quarto aos 22. Foi somente aí que o Atlético decidiu forçar no ataque. Dois minutos depois, Kelly aproveitou cobrança de escanteio e completou para o gol. Rafael Moura ainda fez o terceiro aos 34, mas foi pouco ao ataque, em contraste com o grande número de erros da defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.