Atlético-PR tenta abrir vantagem contra novato paraguaio na Copa Libertadores

Equipe de Paulo Autuori é amplo favorito contra o Deportivo Capiatá na Arena da Baixada

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

15 Fevereiro 2017 | 06h46

Classificado de modo dramático para a terceira fase preliminar da Copa Libertadores, o Atlético Paranaense começa a dar nesta quarta-feira o passo decisivo para entrar em um dos grupos do torneio continental tentando confirmar o seu favoritismo diante do modesto Deportivo Capiatá, do Paraguai, no jogo de ida da série, na Arena da Baixada, em Curitiba, a partir das 21h45.

Na Libertadores após ser o sexto colocado na última edição do Campeonato Brasileiro, o Atlético precisou passar por uma disputa de pênaltis para eliminar o colombiano Millonarios na semana passada. Agora a esperança é de avançar com menos sustos.

O peso dos times é um fator que dá esperanças ao Atlético para que isso ocorra. Afinal, enquanto o time já foi finalista de uma edição da Libertadores, em 2005, quando caiu para o São Paulo, o Deportivo Capiatá é o mais novo participante do torneio em 2017, com apenas oito anos de fundação. Os jogadores garantem, porém, que não há espaço para menosprezo ao oponente.

"Se eles estão nessa situação, é porque têm competência para isso. E nós vamos buscar nosso objetivo, que é a classificação", afirmou o zagueiro Paulo André, que ressaltou a importância de o Atlético abrir vantagem na série. "Esperamos obter um resultado positivo. Sabemos da importância deste jogo. Temos que procurar fazer valer o fator casa, o apoio da torcida", acrescentou.

Para que o Atlético consiga abrir vantagem, aproveitando a sua conhecida força na Arena da Baixada, o técnico Paulo Autuori vai apostar na mesma base que enfrentou o Millonarios na semana passada. E o zagueiro Thiago Heleno teve o seu novo contrato regularizado e terá sua vaga no sistema defensivo no lugar de Wanderson.

O meia Carlos Alberto ficou de fora do treinamento desta terça-feira, mas não deverá ser problema para o duelo desta quarta, com Paulo Autuori confiando bastante na sua experiência, assim como em Lucho Gonzalez e em Grafite para superar o adversário paraguaio. Além disso, a velocidade de Nikão e de Pablo no setor ofensivo deverão ser utilizadas para tentar abrir espaços na defesa do Deportivo Capiatá.


A expectativa no clube, aliás, é aproveitar essa série para chegar com moral para a disputa do complicado Grupo 4 da libertadores, que já conta com Flamengo, Universidad Católica, do Chile, e San Lorenzo, da Argentina. "Queremos fazer jogos consistentes e, se passarmos mais essa eliminatória, entramos muito forte na fase de grupos. Já ultrapassamos a primeira e sabemos que a segunda será muito complicada. Isso tudo vai nos fortalecer para toda a temporada", comentou Paulo Autuori.


O adversário do Atlético, porém, está embalado por uma improvável classificação para esta etapa da Libertadores. Afinal, após perder em casa por 3 a 1 sobre o peruano Universitario, o time triunfou por 3 a 0 como visitante. Antes, na etapa anterior, passou pelo venezuelano Deportivo Táchira.


O modesto clube dirigido pelo ex-volante paraguaio Diego Gavilán, que defendeu equipes como Flamengo, Internacional e Grêmio no futebol brasileiro, deverá ter novidades no seu meio de campo. Cristian Martínez está suspenso, enquanto que Blas Irala ficou livre após cumprir gancho no jogo em que a equipe paraguaia conseguiu a façanha de avançar na Libertadores. Agora tentará surpreender novamente, desta vez o Atlético.

Mais conteúdo sobre:
Atlético-PRfutebolLibertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.