Atlético-PR tenta manter tranqüilidade

Na primeira partida contra o Santos, pelas quartas-de-final da Copa da Libertadores da América, a palavra corrente entre os jogadores e comissão técnica do Atlético-PR era superação. Desta vez, a tranqüilidade vem sendo bastante pedida para todos. Depois da vitória por 3 a 2, um empate basta para que o time paranaense passe para as semifinais da competição."Mesmo tendo vantagem, tenho sempre que conduzir a equipe para que vença o jogo", disse o técnico Antônio Lopes. "Vamos jogar para tentar ganhar." Para Antônio Lopes, não há muito segredo para armar o Atlético, apesar de reconhecer que a pressão da torcida santista será muito grande. "Nosso time é experiente. Tem que fazer no jogo o que foi treinado, com bastante aplicação e vontade", avisou.Para se classificar, basta ao Atlético não tomar gol. Mas o goleiro Diego espera mais do que isso. "Quero que nossos atacantes estejam inspirados, porque se fizermos gols vai ser mais fácil", explicou o jogador.Em relação à primeira partida contra o Santos, não jogam o meia Evandro, que está na seleção Sub-20, e o volante Alan Bahia, que cumpre suspensão. Entram André Rocha e Ticão, repetindo o time que empatou por 0 a 0 com o Figueirense, na última rodada do Brasileiro. O meia Fernandinho, que não joga desde meados de abril, recuperando-se de contusão no pé, ficará à disposição do técnico no banco.Na última partida do Atlético pelo Brasileiro, contra o Figueirense, o time jogou com portões fechados, cumprindo punição do STJD. Mas agora os jogadores esperam o apoio dos torcedores. Pelo menos 15 ônibus saem de Curitiba em direção a Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.