Atlético-PR: torcida pode ir à Justiça

A torcida organizada Fanáticos, do Atlético Paranaense, que teve 17 ônibus retidos na entrada do Rio de Janeiro e foi impedida de chegar no horário marcado para o jogo contra o Vasco, no domingo, pensa em entrar com uma ação na Justiça para pedir indenização por danos morais e materiais. Somente por volta das 17 horas, a polícia permitiu que eles seguissem ao estádio de São Januário, onde viram apenas os últimos 25 minutos da partida.O secretário-geral da torcida, Maurício de Paula e Silva, pretende, a partir desta terça-feira, conversar com mais calma com os torcedores para ver o que pode ser feito. Eles tinham enviado ofício à polícia do Rio informando o horário em que chegariam e pedindo segurança.Os ônibus da caravana chegaram a Curitiba por volta das 10 horas desta segunda-feira, depois de 15 horas de viagem, e poucos torcedores estavam na sede da Fanáticos. "Nós sofremos muita provocação", reclamou Maurício de Paula e Silva, que demonstrava muito cansaço.Segundo ele, os ônibus da torcida foram parados primeiramente na entrada do Rio e posteriormente levados à Avenida Brasil, onde houve hostilização por quem passava por lá. Três ônibus, em que não estavam torcedores ligados à Fanáticos, decidiram voltar para Curitiba."Nós somos atleticanos e não desistimos nunca. Podíamos ter ido à delegacia, mas queríamos assistir ao jogo nem que fosse por um minuto", afirmou o secretário da Fanáticos. Essa mesma determinação ele disse que será levada para o jogo de domingo, contra o Botafogo, em Curitiba. "Ainda acreditamos no título", avisou Maurício de Paula e Silva, apesar de todo o favoritismo do Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.