Atraso nos salários está atrapalhando Vasco, afirma René Simões

Diretor-executivo do clube admite que desempenho dos jogadores tem sido afetado

Agência Estado,

10 de abril de 2013 | 18h52

RIO - O diretor executivo do Vasco, René Simões, admitiu nesta quarta-feira que o atraso de salários tem influenciado o desempenho dos jogadores. Com somente quatro pontos, o time ocupa a penúltima posição do Grupo A da Taça Rio, já sem chance de classificação às semifinais. Simões rechaçou, no entanto, que a influência dentro de campo seja algo proposital por parte dos atletas.

"Influencia, sim. Não acho que seja algo consciente, do tipo ''não vou correr porque não recebi''. Pelo contrário, já vi equipes serem campeãs mesmo com salários atrasados", disse. "O clube não consegue investir como gostaria, não cumpre as obrigações com jogadores e funcionários e não pode se mobilizar por estar algemado na parte financeira. O Vasco vive uma fase absolutamente sem precedentes".

O clube deve assinar novo contrato de patrocinador master em julho. "Pelo tamanho desse clube, tenho certeza de que em julho vamos estar com tudo estabilizado, e ele (o técnico Paulo Autuori) vai poder fazer um trabalho fantástico. O Paulo está empolgadíssimo, então sei que vai dar frutos. Temos um compromisso com o Autuori. Ele comprou a briga e é importante que esteja conosco, pois traz credibilidade", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascosalários atrasados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.