Atrasos no Beira-Rio preocupam autoridades gaúchas

O atraso das obras do Beira-Rio acendeu um sinal de alerta para autoridades e dirigentes do Internacional envolvidos com a confirmação do estádio e da cidade de Porto Alegre como sedes da Copa das Confederações de 2013. Depois de passar meses demonstrando convicção de que o cronograma seria cumprido, o prefeito José Fortunati (PDT) admitiu nesta semana, pela primeira vez, que está preocupado com a perspectiva de perder a competição para outra cidade.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

30 de setembro de 2011 | 20h18

Em algumas manifestações, Fortunati deixou claro que a ameaça que paira sobre a capital gaúcha vem da falta de assinatura do contrato entre o Internacional e construtora Andrade Gutierrez para a reforma do estádio. No início do ano, o clube estava tocando a obra com recursos próprios, mas suspendeu o trabalho e passou a negociar com a empresa.

O presidente do Internacional, Giovani Luigi, disse à Rádio Gaúcha, nesta sexta-feira, que os últimos retoques propostos pelo clube ao contrato foram apresentados à empresa há pouco menos de 20 dias, em São Paulo. Desde então, o Internacional espera o retorno da construtora para assinar o acordo e ver a obra ser retomada. Admitindo preocupação, Luigi afirmou que a empresa está atrasada e admitiu que a demora pode trazer prejuízos ao clube, à cidade e também à empresa.

As cinco sedes da Copa das Confederações serão anunciadas no dia 20 de outubro pela Fifa. A competição será disputada de 15 a 30 de junho de 2013. Porto Alegre espera receber a seleção do Uruguai porque teria fluxo de visitantes garantidos pela proximidade geográfica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.