Manu Fernandez/AP
Manu Fernandez/AP

Atuação de Marcelo no clássico volta a gerar polêmica sobre sua situação no Real

Lateral teve mais uma atuação apagada no empate com o Barcelona pela Copa do Rei

Redação, Estadão Conteúdo

07 de fevereiro de 2019 | 13h10

A fase de Marcelo no Real Madrid não é boa e isso já vem de algum tempo. Com críticas às suas performances, ao excesso de peso e aos rumores que apontam o lateral-esquerdo na Juventus do amigo Cristiano Ronaldo na próxima temporada, o brasileiro passa por momentos turbulentos no clube espanhol que defende há 12 anos e é um dos líderes do elenco - é o segundo capitão, só atrás do zagueiro Sergio Ramos.

O último capítulo desta má fase foi o empate por 1 a 1 no clássico contra o Barcelona, no estádio Camp Nou, em Barcelona, na última quarta-feira, pela rodada de ida das semifinais da Copa do Rei. Marcelo foi criticado pela sua atuação, especialmente no lance do gol do time catalão. Nele, não acompanhou de perto o atacante brasileiro Malcom, que estava sem marcação dentro da área para pegar um rebote da bola, que havia batido na trave, e balançar as redes.

Depois do clássico, o lateral-esquerdo foi elogiado pelo técnico Santiago Solari. "Marcelo é o segundo capitão, 100% voltado ao Real Madrid e sempre coloca o clube em primeiro lugar", disse o treinador sem falar sobre algum lance do jogo em específico. "Nós sempre trabalhamos para que nossos jogadores possam render o máximo que podem", completou.

Mas os elogios de Solari a Marcelo não parecem ser frequentes desde que o argentino assumiu o comando do Real Madrid com a demissão de Julen Lopetegui no final de outubro do ano passado. E o mês de janeiro foi péssimo para o brasileiro, que parece ter perdido a confiança do técnico e pouco jogou no Campeonato Espanhol - foi substituído pelo jovem Sergio Reguilón, de 21 anos e cria das categorias de base do clube.

No começo do ano, as críticas foram pesadas depois da derrota por 2 a 0 para a Real Sociedad, em pleno estádio Santiago Bernabéu, em Madri. Após falhar no primeiro gol do time basco, Marcelo deixou o gramado sob muitas vaias da torcida. Desde então, ficou no banco de reservas contra Betis e Sevilla e contra o Espanyol só entrou aos 33 minutos do segundo tempo. Solari só o escalou como titular na Copa do Rei porque aproveita a competição para dar um descanso aos principais astros.

Marcelo defende o Real Madrid há 12 anos, quando foi contratado para substituir Roberto Carlos na lateral esquerda, já levantou quatro títulos da Liga dos Campeões da Europa e foi eleito o melhor do mundo na posição pela FifPro, o sindicato dos jogadores profissionais, nas últimas quatro temporadas.

Mas pode ser que seus dias no clube estão contados. Os rumores são grandes sobre sua ida à Juventus na janela de transferências internacionais do próximo verão europeu, em julho e agosto deste ano. Na Itália, voltaria a jogar com Cristiano Ronaldo, um de seus melhores amigos que defendia o Real Madrid até o meio do ano passado. Além do brasileiro, os nomes do colombiano James Rodríguez e do espanhol Isco também são cotados no time de Turim.

E tudo isso acontece em um período decisivo para o Real Madrid na temporada. Além das semifinais da Copa do Rei contra o Barcelona, o time merengue encara o clássico contra o rival Atlético de Madrid, neste sábado, pelo Campeonato Espanhol, e na próxima quarta-feira enfrenta o Ajax, na Holanda, pela rodada de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões, competição na qual foi campeão nas últimas três edições.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.