Mohamed Messara/EFE
Mohamed Messara/EFE

Atual campeã, Alemanha joga pela sobrevivência diante da Suécia

Após perder na estreia para o México, alemães precisam da vitória para não serem eliminados

Ciro Campos, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

23 Junho 2018 | 05h00

A honra dos atuais campeões do mundo estará em jogo neste sábado, às 15 horas, em Sochi. A Alemanha, quatro vezes campeã do mundo e equipe com maior presença em semifinais, precisa ganhar da Suécia no Fisht Stadium para não acumular a segunda derrota seguida e correr o risco de dar adeus logo na primeira fase da competição na Rússia, algo que o país não vivencia há 80 anos.

+ Mario Gómez cobra respeito à Alemanha: 'Ainda somos um grande time'

+ Capitão sueco provoca: 'Quem diria que a Alemanha pode ser eliminada'

O elenco alemão considera a partida como um mata-mata antecipado por ter perdido na estreia. A derrota por 1 a 0 para o México, em Moscou, mexeu com o ambiente e a preparação. Os alemães decidiram antecipar a vinda para Sochi, onde passaram a semana perto da praia e com clima quente, bem diferente do frio da concentração anterior e das suspeitas de brigas internas entre os jogadores.

“Para nós, a fase eliminatória da Copa já começou. Ainda somos um time tradicional e experiente, mas em uma Copa mesmo quem não é favorito pode complicar”, afirmou o atacante Mário Gomez, uma das possíveis novidades da Alemanha para a partida. A equipe perdeu de última hora o zagueiro Hummels, machucado, mas deve ter na lateral esquerda a volta do titular, Hector.

O técnico Joachim Löw admite viver um momento difícil e disse que trabalhou durante a semana para mexer com o moral da equipe. Na opinião dele, a falta de movimentação e os problemas de criação na estreia, contra o México, foram fruto de acomodação e da falta de vontade da equipe em buscar repetir um título conquistado recentemente.

 
 

“Estamos em uma posição em que todo mundo está motivado a ganhar de você. É difícil manter o apetite para ganhar. Não é fácil manter o sentimento. Vamos tentar reagir. Se ganharmos, estaremos de volta à corrida”, afirmou o treinador. A Alemanha tem como principal preocupação contra a Suécia o sistema defensivo adversário, considerado pela equipe o principal ponte forte.

A Suécia se mostrou especialista nos últimos anos em superar favoritos. Nas Eliminatórias, conseguiu vencer a França e deixou para trás Holanda e Itália para confirmar presença na Copa. “Eles são empenhados e organizados para se defender com excelência. A Suécia tem uma baixa média de gols sofridos. Vamos precisar trabalhar bastante”, afirmou Löw. A Suécia ganhou da Coreia do Sul por 1 a 0 na estreia.

A equipe escandinava tem três possíveis baixas para o jogo, todas de jogadores que sofreram problemas estomacais na concentração. O técnico Janne Andersson comentou ontem sobre a possibilidade de a equipe fazer história na Copa em caso de vitória. “Estamos acostumados a enfrentar grandes seleções. Tiramos a Itália da Copa. O futebol é baseado em experiência, então não podemos nos sentir em desvantagem.”

O capitão da Suécia, o zagueiro Andreas Granqvist, alfinetou ontem a pressão sobre a Alemanha. “A Alemanha é um grande favorito e pode não se classificar para as oitavas de final. Algo que poucos poderiam acreditar. Quem diria que eles podem ser eliminados”, disse.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.