Mohamed Messara/EFE
Mohamed Messara/EFE

Atual campeã, Alemanha joga pela sobrevivência diante da Suécia

Após perder na estreia para o México, alemães precisam da vitória para não serem eliminados

Ciro Campos, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

23 Junho 2018 | 05h00

A honra dos atuais campeões do mundo estará em jogo neste sábado, às 15 horas, em Sochi. A Alemanha, quatro vezes campeã do mundo e equipe com maior presença em semifinais, precisa ganhar da Suécia no Fisht Stadium para não acumular a segunda derrota seguida e correr o risco de dar adeus logo na primeira fase da competição na Rússia, algo que o país não vivencia há 80 anos.

+ Mario Gómez cobra respeito à Alemanha: 'Ainda somos um grande time'

+ Capitão sueco provoca: 'Quem diria que a Alemanha pode ser eliminada'

O elenco alemão considera a partida como um mata-mata antecipado por ter perdido na estreia. A derrota por 1 a 0 para o México, em Moscou, mexeu com o ambiente e a preparação. Os alemães decidiram antecipar a vinda para Sochi, onde passaram a semana perto da praia e com clima quente, bem diferente do frio da concentração anterior e das suspeitas de brigas internas entre os jogadores.

“Para nós, a fase eliminatória da Copa já começou. Ainda somos um time tradicional e experiente, mas em uma Copa mesmo quem não é favorito pode complicar”, afirmou o atacante Mário Gomez, uma das possíveis novidades da Alemanha para a partida. A equipe perdeu de última hora o zagueiro Hummels, machucado, mas deve ter na lateral esquerda a volta do titular, Hector.

O técnico Joachim Löw admite viver um momento difícil e disse que trabalhou durante a semana para mexer com o moral da equipe. Na opinião dele, a falta de movimentação e os problemas de criação na estreia, contra o México, foram fruto de acomodação e da falta de vontade da equipe em buscar repetir um título conquistado recentemente.

 
 

“Estamos em uma posição em que todo mundo está motivado a ganhar de você. É difícil manter o apetite para ganhar. Não é fácil manter o sentimento. Vamos tentar reagir. Se ganharmos, estaremos de volta à corrida”, afirmou o treinador. A Alemanha tem como principal preocupação contra a Suécia o sistema defensivo adversário, considerado pela equipe o principal ponte forte.

A Suécia se mostrou especialista nos últimos anos em superar favoritos. Nas Eliminatórias, conseguiu vencer a França e deixou para trás Holanda e Itália para confirmar presença na Copa. “Eles são empenhados e organizados para se defender com excelência. A Suécia tem uma baixa média de gols sofridos. Vamos precisar trabalhar bastante”, afirmou Löw. A Suécia ganhou da Coreia do Sul por 1 a 0 na estreia.

A equipe escandinava tem três possíveis baixas para o jogo, todas de jogadores que sofreram problemas estomacais na concentração. O técnico Janne Andersson comentou ontem sobre a possibilidade de a equipe fazer história na Copa em caso de vitória. “Estamos acostumados a enfrentar grandes seleções. Tiramos a Itália da Copa. O futebol é baseado em experiência, então não podemos nos sentir em desvantagem.”

O capitão da Suécia, o zagueiro Andreas Granqvist, alfinetou ontem a pressão sobre a Alemanha. “A Alemanha é um grande favorito e pode não se classificar para as oitavas de final. Algo que poucos poderiam acreditar. Quem diria que eles podem ser eliminados”, disse.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.