Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Audiência sobre bônus colocará Neymar e Barcelona frente a frente

Audiência foi marcada para terça-feira (03/10) e pode atrasar o craque de se juntar à seleção brasileira

O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2017 | 09h47

A longa novela envolvendo a saída de Neymar do Barcelona ainda não acabou. Apesar do brasileiro já estar marcando gols pelo Paris Saint-Germain, uma pendência financeira colocará o time e jogador frente a frente nos tribunais. Segundo informa o jornal espanhol Mundo Deportivo, ambos vão tentar um acordo sobre o bônus que o jogador teria a receber por sua última renovação de contrato com os catalães, que ia até 2021.

+ Guia da Liga dos Campeões

Segundo a publicação, a audiência está marcada para a próxima terça-feira, 3. O clube pede devolução do total do bônus de € 26 milhões (R$ 96 milhões) pagos ao atleta após o acordo, mais uma compensação de 8,5 milhões de euros (cerca de R$ 31,5 milhões) por danos morais acrescido de 10% de juros.

Na visão do clube catalão, a decisão do atacante de se transferir para o PSG, meses depois de ter renovado seu contrato, invalidou as condições para o pagamento das luvas. Na ação, o Barcelona pede ainda que o valor seja pago pelo Paris Saint-Germain caso o jogador não possa fazer o desembolso. Na visão dos advogados de Neymar, o dinheiro tem caráter salarial e, por esse motivo, não pode ser fatiado.

Assim que foi informado do processo, Neymar emitiu um comunicado se mostrando surpreso. "Tal notícia foi recebida com surpresa, vez que o atleta cumpriu integralmente o contrato então vigente, com o depósito integral dos valores livremente pactuados com o F.C. Barcelona visando sua liberação", informou nota assinada pela N&N Consultoria Esportiva e Empresarial Ltda.

O Mundo Deportivo também destaca que a história pode não acabar por aí porque Neymar também abriu uma ação sobre o caso na Fifa.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Um conflito de agenda pode ser gerado a partir da intimação: Neymar programou se juntar à seleção brasileira no domingo (01/10) para os jogos diante de Bolívia e Chile, antes da audiência. A princípio, o estafe da estrela do PSG diz que o calendário está mantido, enquanto se estuda a possibilidade de Neymar ser representado no tribunal por procuração no depoimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.