AUF embarga bens de Passarella

A Associação Uruguaia de Futebol (AUF) pediu à justiça argentina o embargo de bens de Daniel Passarella com o objetivo de tentar recuperar US$ 837 mil (cerca de R$ 2,5 milhões) pagos a mais a ele no período em que dirigiu a seleção celeste, segundo informa um diário local. Foram embargados, na argentina, um iate e uma casa do ex-jogador como garantia da dívida. Passarella esteve à frente do Uruguai entre agosto de 99 e fevereiro de 2001. Ele deixou o cargo quando a equipe estava na sexta posição das eliminatórias para a Copa deste ano. Durante este período, ele cobrou adiantadamente por seus serviços. Por isso, a AUF e uma empresa que ajudou na contratação do técnico entraram na justiça para cobrar a devolução de parte do dinheiro pago. Uma decisão favorável provocou o embargo de uma residência de Passarella em Montevidéu, cujo valor não foi suficiente para quitar a dívida. O passo seguinte foi o pedido à justiça argentina. Agora, caso Passarella, atualmente treinando o Monterrey, do México, não devolva o valor cobrado, os credores vão pedir a execução dos bens embargados.

Agencia Estado,

12 Agosto 2002 | 15h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.