Aumenta número de pendurados no Palmeiras

O Palmeiras já está classificado para a próxima fase da Série B do Campeonato Brasileiro, mas isto não significa o fim dos problemas do técnico Jair Picerni. O time derrotou o Marília por 2 a 1, no sábado, mas teve sua cota de prejuízo. Antes da partida, tinha seis jogadores com dois cartões amarelos. Depois, passou a ter oito pendurados, além do volante Marcinho, que foi punido e já não joga a próxima rodada.A dificuldade de Picerni é ainda maior se for levado em consideração o fato de que a maioria dos ameaçados jogam no meio-de-campo, caso dos volantes Elson, Adãozinho e Alceu mais o meia Pedrinho. Completam o grupo, os laterais Lúcio e Baiano, o zagueiro Daniel e o atacante Muñoz.O técnico palmeirense terá três partidas para gerenciar o problema dos cartões, que, admite, são uma preocupação. "É complicado tentar forçar cartão (amarelo), porque, de repente, o jogador acaba tomando um que não está nos planos (vermelho) e a situação piora", avaliou Picerni. Segundo ele, é preciso ter "técnica" até mesmo para forçar uma punição e, por isso, a tendência é deixar as coisas acontecerem naturalmente.Baiano diz que será esta sua atitude no jogo contra o Gama. "Vou entrar em campo e seguir meu trabalho. Se acontecer de tomar cartão, paciência", comentou lateral. Lúcio acha natural o grande número de cartões amarelos na Série B, já que se trata de uma competição de muita marcação e contato físico. O jogador não descarta a possibilidade de forçar o cartão, mas ressalta que postura vai depender do árbitro, porque não quer se arriscar a tomar o vermelho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.