Roberto Souza|Divulgação
Roberto Souza|Divulgação

Aumento dos casos de covid paralisa Catarinense e Paranaense; Cearense é afetado

Prefeituras de cidades como Fortaleza e Chapecó já vinham proibindo jogos de serem disputados nos municípios

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

04 de março de 2021 | 19h30

O aumento do número de casos de coronavírus no Brasil começou a paralisar competições no futebol nacional. Nos últimos dias, as federações estaduais decidiram pela paralisação do Campeonato Catarinense e do Paranaense. E o Estadual do Ceará não pode ter jogos realizados na capital Fortaleza.

A paralisação do Catarinense foi anunciada na noite de quarta-feira, quando os últimos jogos da 3.ª das 11 rodadas da competição foram realizados. Mas o torneio já vinha sofrendo com os efeitos do avanço da pandemia, algo que, inclusive, havia forçado o adiamento do confronto entre Chapecoense e Avaí, pela 2.ª rodada, em função da indisponibilidade de ambulâncias para ficarem na Arena Condá durante a realização do duelo.

Antes mesmo de o campeonato ser formalmente paralisado, algumas prefeituras, como as de Chapecó, Criciúma e Tubarão, já haviam anunciado a proibição de realização de jogos. Isso ocorreu porque em várias delas a taxa de ocupação das UTIs está no limite. E, sem leitos, Santa Catarina passou a transferir pacientes para o Espírito Santo. "A suspensão veio a partir de decretos municipais impedindo a realização de jogos em suas respectivas cidades, atingindo metade dos clubes participantes", justificou a federação.

Nesta sexta-feira, uma reunião com representantes dos clubes buscará uma solução para a sequência do Catarinense após a paralisação de 15 dias. Mas a proposta da federação será de que as fases de mata-mata - quartas de final, semifinal e final -, aconteçam em jogos únicos, o que provocaria menos problemas no calendário.

Em seu último boletim, o governo de Santa Catarina informou que há 694.274 casos confirmados de covid-19, com 7.709 mortes. Houve mais 91 óbitos registrados na atualização desta quinta-feira, com um aumento de 5.674 na quantidade de confirmados.

PARANÁ

Também com a superlotação dos postos de saúde, o Paraná está com o seu campeonato estadual paralisado. O torneio, aliás, só teve dois dos seis jogos da primeira rodada disputados. Inicialmente, a suspensão atendeu a uma orientação do Ministério Público Estadual.

Posteriormente, o governo estadual determinou o toque de recolher a partir das 20 horas por nove dias, desde 27 de fevereiro. Isso engloba o período de disputa da segunda e da terceira rodada do Paranaense.

"A Federação Paranaense de Futebol informa que a 3ª Rodada do Campeonato Paranaense de Futebol Profissional da Primeira Divisão - Temporada 2021, que deveria ocorrer nos dias, 06 e 07 de março de 2021, foi adiada. Informa que nova data para a realização das partidas será oportunamente marcada pelo Departamento de Competições da Entidade", comunicou a federação.

No Paraná, a Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quinta-feira 5.386 novos casos de covid-19 e 110 óbitos pela doença. São, agora, 11.993 mortes no estado, com 661.791 infectados.

CEARÁ

O último torneio estadual a ser paralisado, ainda que inicialmente apenas parcialmente, foi o Cearense. Com a determinação de lockdown em Fortaleza, o governo do Ceará optou por suspender os jogos do campeonato na capital até 18 de março. Mas compromissos pela Copa do Brasil e pela Copa do Nordeste podem ser disputados. Há negociações, porém, para que o Cearense prossiga com jogos fora de Fortaleza. O Ceará e o Fortaleza, por exemplo, vão pedir para mandar seus duelos nos CTs da base, em Itaitinga e Maracanaú, respectivamente.

Já no Ceará, foram registrados 4.092 novos casos e 58 mortes nesta quinta-feira. Agora, então, o estado soma 437.017 ocorrências do coronavírus com 11.506 óbitos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.