Ausência de Jorge Wagner preocupa Muricy Ramalho

Técnico não poderá contar com o jogador para o duelo decisivo deste domingo contra o Juventus

Giuliano Villa Nova, O Estado de S. Paulo

04 de abril de 2008 | 19h24

Jorge Wagner é um dos jogadores mais importantes do São Paulo há algum tempo. Mas seu papel no time ficou ainda mais evidente neste ano. Afinal, além de ser um dos cobradores de falta, é o batedor oficial de escanteios e o melhor assistente são-paulino. Veja também: Simule a classificação final da primeira fase do Paulistão Quais times devem se classificar para a semifinal do Paulistão Classificação Próximos jogos Juventus descarta o estigmatizado Vampeta contra o São Paulo De seus pés, saíram dez gols do São Paulo no Campeonato Paulista e na Libertadores deste ano. Por isso, o técnico Muricy Ramalho não esconde a preocupação por não contar com Jorge Wagner, suspenso pelo TJD, no jogo decisivo de domingo, contra o Juventus, no Morumbi. "Estamos preocupados, porque não temos um jogador como ele no elenco. Ninguém bate escanteios nem faz cruzamentos como ele", resumiu o treinador do São Paulo. "E a capacidade física dele é impressionante. Contra o Luqueño (na última quarta-feira, pela Libertadores), ele cobrou 16 escanteios. Qualquer outro jogador no seu lugar teria sofrido uma distensão muscular." O problema é que, sem Jorge Wagner, o São Paulo precisa da vitória sobre o Juventus para conseguir vaga nas semifinais do Paulistão. Com 35 pontos, o time são-paulino está em terceiro lugar no campeonato e depende apenas de suas forças para se classificar. E, com um elenco reduzido, Muricy só tem o meia Carlos Alberto e o atacante Dagoberto como alternativas para a vaga de Jorge Wagner. O primeiro poderia compor o meio-de-campo e, em tese, não modificaria tanto as características do time. E o segundo deixaria o São Paulo com uma formação bem mais ofensiva, já que os atacantes Borges e Adriano, ambos em boa fase, seguem como titulares absolutos. DESGASTEÉ claro que Jorge Wagner não gostou de ficar fora do confronto que pode decidir a classificação do São Paulo para as semifinais do Paulistão - foi suspenso pela tentativa de agressão ao meia chileno Valdivia, no clássico com o Palmeiras. Mas o jogador lembrou que, pelo menos, poderá descansar um pouco, pois é o único do elenco são-paulino, ao lado do goleiro Rogério Ceni, que participou dos 22 jogos do time neste ano.  "O desgaste tem sido grande, e agora vou poder fazer um tratamento, para voltar com tudo na próxima semana", avisou Jorge Wagner, já pensando nos próximos confrontos pela Libertadores e também pelas semifinais do Paulistão. MULTADOCarlos Alberto tem boas chances de enfrentar o Juventus, no lugar de Jorge Wagner. Mas, nesta sexta-feira, ele chegou atrasado ao treinamento. Nem foi para o gramado e fez trabalho à parte, na academia do clube.  Esse foi o primeiro ato de indisciplina de Carlos Alberto, desde sua chegada ao São Paulo, em janeiro. "Ele chegou atrasado e será multado pela diretoria, só isso. Mas vai ficar baratinho para ele", desconversou o técnico Muricy Ramalho. O atacante Adriano e o volante Zé Luis, ambos com dores musculares, também não treinaram com bola nesta sexta-feira, mas os dois devem ter condições para enfrentar o Juventus no domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.