JF Diório/AE
JF Diório/AE

Ausência de Ronaldo frustra torcedores em Santo André

Fenômeno não fica bem no banco de reservas e público lamenta por não poder ver o craque do Corinthians

Martín Fernandez, Agencia Estado

15 de março de 2009 | 20h03

SANTO ANDRÉ - Nos arredores do Estádio Bruno José Daniel, em Santo André, só os policiais militares estavam felizes com a ausência de Ronaldo na partida entre Corinthians e Santo André. No mais, torcedores, vendedores ambulantes, cambistas, todos estavam frustrados.

Veja também:

linkCorinthians empata sem gols com o Santo André no ABC

tabela Campeonato Paulista - Tabela e resultados

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Os muros do estádio amanheceram pichados: "Dirigente safado, quer dinheiro vai roubar banco, não a Fiel" e "Cambada de canalha, roubar a Fiel é crime". O Santo André fixou em R$ 60 o preço do ingresso mais barato. Até sexta-feira, as vendas foram boas. Quando Mano Menezes anunciou que o Fenômeno seria poupado, a procura despencou.

As bilheterias estavam vazias neste domingo. "Depois que avisaram que o Ronaldo não jogaria, ficou ruim para todo mundo", contou um cambista, que já vendia os bilhetes por até R$ 40 - dois terços do preço oficial.

Nas filas, havia mais conformismo do que revolta. O analista de sistemas Luiz Serafim, de 43 anos, levou o filho Vitor, de 9, pela primeira vez no ano a um estádio. Pagou R$ 120 pelas duas entradas, mas ficou só na vontade de ver Ronaldo em campo. "Compramos achando que ele iria jogar, mas, já que não deu, vamos torcer para o Timão assim mesmo", disse Serafim, morador de Santo André.

A poucos metros dali, na mesma fila, o engenheiro Paulo Roberto da Silva, de 32 anos, também lamentava. Gastou R$ 240 em quatro entradas para a família. "Comprei na sexta-feira de manhã, também achei que o Ronaldo jogaria", contou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.