Ausência de Silas não preocupa

A campanha invicta e a folga de carnaval deram tranqüilidade ao técnico Zé Teodoro, do Rio Branco, a ponto dele não se mostrar preocupado com a ausência do experiente meia Silas no jogo contra o Santos, sábado, em Americana. "Ele é um grande jogador, mas também temos que acreditar na força do elenco", disse o técnico, que retomou os treinamentos nesta terça-feira, no estádio Décio Vitta. Silas recebeu o segundo cartão amarelo diante do Botafogo, em Ribeirão Preto, e ficará de fora. Existem três opções para Zé Teodoro. Um delas é o experiente Vaguinho, volante de marcação e pegada. Outra é o garoto Wilton, que além de marcar sabe tocar bem a bola e até aparece no ataque com desenvoltura. Djair também é uma alternativa. Outro jogador que preocupa é o lateral direito Alexandre Chagas, sentindo um entorse no joelho direito. O seu eventual substituto é Marcinho. O Rio Branco é quarto colocado na Série A-1, com 12 pontos, mantendo a única campanha invicta dentro do Paulistão. A boa campanha nas primeiras seis rodadas era tudo que Zé Teodoro queria. "É difícil trabalhar quando as vitórias não acontecem. Agora ganhamos mais tempo para desenvolver nosso trabalho", argumentou. O zagueiro Júlio César ainda deve ficar 10 dias sem condições de jogo, recuperando-se de uma contusão muscular na coxa direita. A diretoria continua procurando outro atacante para o lugar de Reinaldo, que foi para o futebol árabe. Alberto, do Palmeiras, está praticamente descartado, enquanto Zé Afonso, do Grêmio, surge como uma boa possibilidade, principalmente depois que Sílvio, outro pretendido, acertou com o Santo André, que disputa a Série A-2.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.