Australianos lamentam eliminação, mas exaltam boa atuação

Jogadores e membros da comissão técnica da Austrália afirmaram, nesta terça-feira, que deixam a Copa do Mundo de cabeça erguida, mas com um gosto amargo na boca, em virtude da eliminação diante da Itália - que só aconteceu por causa de um pênalti duvidoso marcado aos 49 minutos do segundo tempo."Nós ainda deveríamos estar no Mundial", disse o meia Tim Cahill, um dos vários atletas que criticou a marcação da penalidade no final da partida. Por sua vez, o técnico da equipe, o holandês Guus Hiddink, preferiu exaltar o lado positivo da participação dos australianos nesta Copa. "Ficamos muito perto de passarmos às quartas-de-final, o que teria sido um feito notável. Acho que a Austrália deveria se sentir orgulhosa".O capitão da equipe, Mark Viduka, concordou com o treinador. "Nós jogamos bem, hoje (segunda) e nas outras partidas. Acho que conquistamos muitos torcedores somente pela maneira de jogarmos, sem nunca desistirmos de lutar em campo. Foi muito chato perder, mas temos que lidar com isso".O goleiro Mark Schwarzer preferiu destacar o trabalho realizado e projetar o futuro da equipe. "O que Hiddink nos deixou foi um trabalho muito bem feito, que o próximo treinador a assumir deve tentar consolidar e melhorar". E o zagueiro Lucas Neill resumiu o sentimento da maioria dos jogadores. "Depois que você prova o gosto de disputar uma Copa do Mundo, você percebe o quanto perdeu durante tantos anos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.