David Gray/Reuters
David Gray/Reuters

Autor de gol histórico, Aloisi acredita em surpresa australiana na Copa do Mundo

Ex-atacante definiu classificação australiana para o Mundial de 2006, com vitória nos pênaltis

Estadão Conteúdo

13 Junho 2018 | 20h14

Lendário jogador da Austrália, o ex-atacante John Aloisi afirmou que a seleção de seu país pode surpreender muita gente na Copa do Mundo da Rússia, já que não há grande expectativa sobre o desempenho da equipe. "Ninguém vai nos dar muita chance de passar da primeira fase, mas acho que podemos chocar algumas pessoas", disse o ex-atleta ao site do clube Brisbane Roar, onde é técnico.

+ Mbappé explica susto em treino e elogia companheiros de ataque na França

+ Lopetegui é demitido e Fernando Hierro será o técnico da seleção da Espanha

John Aloisi é o autor do histórico gol de pênalti contra o Uruguai (4 a 2 nas penalidades, após uma vitória para cada lado na repescagem das Eliminatórias) que classificou a Austrália para o Mundial de 2006, na Alemanha, após 32 anos de ausência da seleção no torneio.

Na Rússia, a Austrália joga a sua quarta Copa consecutiva. Estreia diante da França, neste sábado, às 7 horas (de Brasília), em Kazan. O objetivo é chegar às oitavas de final, como aconteceu em 2006. Os australianos caíram em derrota para a Itália, por 1 a 0.

Os torcedores australianos estão ansiosos, assim como o elenco comandado pelo técnico holandês Bert van Marwijk. Um dos destaques é o experiente atacante Tim Cahill, que também disputa o seu quarto Mundial.

 

John Aloisi sabe bem como são esses momentos que antecedem o primeiro jogo. "Esta Copa do Mundo provavelmente será mais difícil do que nunca. Vamos fazer bem? É difícil dizer. Mas uma coisa é certa: sempre que os jogadores colocam o verde e o ouro, eles crescem", destacou o ex-atacante.

O ex-jogador falou ainda sobre o sentimento de vestir a camisa de seu país, ainda que não tenha tradição no cenário mundial. "Sempre me lembro que quando jogava pela Austrália, eu me sentia invencível. Então sei que os jogadores que entrarão em campo nesta Copa do Mundo sentirão o mesmo", completou o ídolo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.