DIEGO AZUBEL / EFE
DIEGO AZUBEL / EFE

Autoridades de Miami aprovam início de negociação para ter GP de Fórmula 1

A proposta para 2019 foi aprovada pelos comissários da cidade, que exercem função semelhante a de vereadores

Estadão Conteúdo

10 Maio 2018 | 18h54

Autoridades da cidade de Miami aprovaram nesta quinta-feira a iniciativa de negociar com a Fórmula 1 a realização de uma corrida da categoria na cidade norte-americana no futuro. O local poderia ser adicionado ao calendário já na temporada 2019. A proposta foi aprovada pelos comissários da cidade, que exercem função semelhante a de vereadores.

+ Confira a classificação da Fórmula 1

Com o aval, o acerto entre a cidade e a cúpula da F-1 deve ser encaminhado até o fim do verão norte-americano, em agosto. Especula-se que o contrato inicial teria duração de dez anos. E a corrida seria disputada em outubro, próximo à data da corrida já disputada em solo americano, em Austin, no Texas.

A F-1 vem tentando expandir seu mercado nos Estados Unidos nos últimos anos, principalmente após marcar seu retorno ao país, em 2012, com a prova disputada no Circuito das Américas, em Austin.

Com a compra da F-1 por proprietários norte-americanos, a tentativa de aumentar a presença da categoria no país só aumentou. Uma prova em Miami deixaria a América do Norte com quatro corridas, a contar também com uma no México e outra no Canadá.

"A Fórmula 1 em Miami representa uma oportunidade fantástica para levar o maior espetáculo de automobilismo do mundo a uma das cidades mais icônicas do planeta. E estamos empolgados que esta jornada esteja perto de acontecer", afirmou Sean Bratches, diretor comercial da F-1.

Embora um contrato ainda precise ser assinado, o prefeito de Miami, Francis Suárez, se mostrou confiante para confirmar o acerto. Na sua avaliação, a aprovação dos comissários "é um grande passo" em direção à efetivação da corrida na cidade que administra atualmente.

Ainda dependendo de definições burocráticas, a prova em Miami já conta com o apoio de pilotos consagrados, como o inglês Lewis Hamilton. "Miami é um lugar superlegal. Fiquei muito empolgado ao ouvir as notícias. Acho que vai ser muito divertido", declarou o tetracampeão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.