Autuori acerta com o São Paulo

Paulo Autuori, de 48 anos, é o novo técnico do São Paulo. Treinador da seleção peruana até segunda-feira passada, ele será apresentado neste sábado e acompanhará o time na partida contra o Paraná, pela segunda rodada do Brasileiro, no Morumbi. Autuori assinou contrato até o fim do ano, ganhará cerca de R$ 100 mil por mês e estréia no comando da equipe no jogo contra o Corinthians, no domingo. O carioca será o substituto de Emerson Leão, que deixou o campeão paulista na semana passada para treinar o Vissel Kobe, do Japão. Campeão da Libertadores em 1997 com o Cruzeiro, Autuori se encaixa no perfil disciplinador exigido pela diretoria do clube. O superintendente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, classificou o treinador como "rigorosíssimo". "Também conhece profundamente o futebol sul-americano e não se desligou do futebol brasileiro." Essas características são muito interessantes para o time, que tem como uma de suas principais aspirações o título continental. Além do Cruzeiro e da Seleção Peruana, Autuori dirigiu times de Portugal (Nacional, Vitória Guimarães, Marítimo e Benfica), do Peru (Alianza Lima e Sporting Cristal) e tradicionais clubes brasileiros, como Flamengo, Inter-RS, Santos e Botafogo, com o qual foi campeão brasileiro em 1995. Um dos desafios de Autuori no São Paulo, a partir de segunda-feira, quando deverá iniciar o trabalho com os jogadores, será o de administrar a possível saída de peças-chave da equipe, como Cicinho e Grafite. Hoje, o jornal espanhol Marca divulgou o interesse do Espanyol pelo atacante brasileiro. De acordo com Marco Aurélio Cunha, nenhuma proposta chegou ao clube. Já a situação de Cicinho é mais concreta. O Porto continua tentando a contratação e o lateral afirmou que o clube não criará problemas se a proposta for boa. Acompanhando a chegada de Autuori do banco de reservas, o interino Mílton Cruz quer fazer o São Paulo vencer sua primeira partida no Brasileiro e entregar o time com moral alta. O técnico comandou um treino leve hoje e não quis revelar a escalação da equipe. "Ainda preciso dar uma olhada em uns vídeos do Paraná." Cruz não havia se decidido entre o 3-5-2 ou o 4-5-1, mas deve manter a opção com três zagueiros. Admitiu não querer mexer na fórmula que vem dando certo e deu o título paulista ao time. Indefinições à parte, tudo indica que Luizão deve substituir Diego Tardelli no ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.