Autuori avisa: retranca, nem pensar

O técnico Paulo Autuori pede um tempo para pensar no Inter, adversário de sábado, pelo Campeonato Brasileiro, mas deixa claro que o time que enfrentará o River, quarta-feira, em Buenos Aires, não terá aquela formação defensiva que perdeu para o Tigres, por 2 a 1, em Monterrey, pelas quartas-de-final. Naquele jogo, foram três volantes e três zagueiros. Apenas um atacante. "São situações muito diferentes. No jogo contra o Tigres poderíamos perder até por três gols, e agora não. Obtivemos uma grande vantagem e teremos inteligência para defendê-la em Buenos Aires". O técnico sabe que jogar no campo do São Paulo é tudo o que quer Leonardo Astrada, treinador do River. Atacar, atacar e atacar, até o gol sair. Como o São Paulo fez ontem. Para evitar isso, não abrirá mão de lutar pela posse de bola e de atacar. Se fizer um gol, o time só será desclassificado se tomar quatro. Por tudo isso, é certeza que o time terá dois atacantes. Amoroso foi bem e voltará a fazer a dupla com Luizão. O que Autuori pode fazer durante a partida é substituir Luizão por um jogador mais defensivo - Alê, por exemplo - e avançar Danilo para o ataque. Outra certeza é que Souza não joga. "Gosto de olhar para o banco e ver que há uma opção para tornar o time mais ofensivo. O Souza me permite isso." Autuori ficou impressionado com a queda de rendimento físico do River contra o Banfield, no segundo tempo do segundo jogo das quartas-de-final. O primeiro tempo terminou 2 a 0 e a partida, 3 a 2. "Esse é um dado que vamos levar em conta na nossa estratégia para o jogo", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.