Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Autuori critica gestão do Santos e evita falar sobre futuro de Sampaoli

Superintendente de futebol também adiantou que a temporada 2020 do time será 'dura'

Redação, Estadao Conteudo

30 de outubro de 2019 | 13h01

Em mais uma entrevista coletiva para prestar esclarecimentos sobre a situação do Santos, o superintendente de futebol Paulo Autuori fez críticas à gestão do clube em tom de desabafo nesta quarta-feira, afirmou que a temporada 2020 do time será "dura" e evitou falar sobre o futuro do técnico Jorge Sampaoli na equipe.

Autuori disse que, por questões de confidencialidade, não revelaria informações sobre o contrato do treinador. Mas ressaltou que "nada mudou" no vínculo de Sampaoli em relação ao início. Recentemente, rumores apontavam que o treinador teria pedido para retirar a multa rescisória do contrato, com o objetivo de deixar o clube no início de 2020.

"Não está em causa multa, premiação. Isso é algo que já vem desde o início, desde que o Sampaoli entrou no clube. Estamos tendo conversas para preparar 2020, com a possibilidade de fazer isso com antecipação. Seria lindo ter continuidade no trabalho. Não há nada de novo sobre o assunto", disse Autuori, no CT Rei Pelé.

A novidade no caso, segundo o superintendente, é que hoje Sampaoli está melhor informado sobre como será o próximo ano no clube. "O fator novo é que o Sampaoli hoje, diferentemente do início do ano, tem completamente claro o que vai ser 2020 para o clube. Com a antecipação necessária, fiz questão de mostrar para ele qual será a realidade do Santos em 2020. A realidade não será fácil, será dura, diante das dificuldades que o clube vai enfrentar", afirmou, sem entrar em detalhes.

Em tom de desabafo, Autuori poupou o presidente José Carlos Peres e disse estar "incomodado" com a "covardia" de uma "uma pessoa do Comitê Gestor", sem citar nomes. "O que a mim me incomoda muito, é a falta de coragem de pessoas para que quando estão no fórum certo, respeitando aquilo: 'quem', as pessoas que são envolvida, 'quando', aquilo que vai acontecer e 'onde', lugar que vai acontecer. Há covardia, tentam de alguma maneira soltar algo através da mídia. Não existe uma lógica clara", reclamou.

O superintendente de futebol disse estar "desapontado" com a gestão do clube. "Estou extremamente desapontado com a maneira com que as coisas estão ocorrendo em relação à gestão. Como meu pai sempre dizia: os incomodados é que se mudem", afirmou, antes de ressaltar: "não estou falando em saída. Estou deixando claro o meu posicionamento".

Autuori também reconheceu falhas da gestão do futebol do clube. "Houve um erro de planejamento, não tenho dificuldade de ratificar isso. Precisamos corrigir essa rota. É uma situação que não pode acontecer. É ruim quando o clube tem jogadores para treinar em horários distintos. É ruim para todos. Jogador precisa jogar, estar à disposição. 2020 será terrível também, porque tem vários jogadores em empréstimos que vão regressar. Precisamos trabalhar desde agora."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.