Auxiliar crê em Palmeiras mais técnico com Mendieta

Juninho ressaltou que paraguaio deve melhorar a medida em que estiver mais adaptado ao futebol brasileiro

AE, Agência Estado

07 de julho de 2013 | 12h00

PRESIDENTE PRUDENTE - A vitória do Palmeiras por 4 a 0 sobre o Oeste, sábado, em Presidente Prudente, pela sétima rodada da Série B, ficou marcada pelo bom retorno de Valdivia e pelos gols marcados por Leandro e Charles, mas também por Mendieta. Recém-contratado, o paraguaio fez a sua estreia pelo time e arrancou elogios do auxiliar Juninho, que substituiu o suspenso Gilson Kleina no banco de reservas. Para ele, o time ficará mais técnico quando Mendieta for escalado ao lado do chileno Valdivia.

"Com os dois, vira um time técnico, que toca a bola. Mas também temos Charles, Márcio Araújo, Wesley, Vilson, que está voltando, Marcelo Oliveira, vários jogadores que são de pegada. Em um time, temos de mesclar. Temos de ter um time que toca a bola e ter quem marque também. Só tocando a bola, não chegaremos a lugar algum. Temos de ter os "operários", que começarão as jogadas para esses caras que têm habilidade tocar a bola e chegar para fazer os gols", analisou.

Juninho, porém, pediu calma ao torcedor com Mendieta e lembrou que o paraguaio ainda está em fase de adaptação ao futebol brasileiro. "O Mendieta está mudando de ambiente, de país. Às vezes, os trabalhos que ele fazia no Paraguai era diferente. Ele saiu do país dele. Às vezes, no Paraguai, ele não fazia trabalho de força e campo reduzido, aqui ele faz. A gente exige muito dos jogadores nos treinos, precisa de um tempo para melhorar tudo isso. À medida que ele for entrando nas partidas, com certeza melhorará", afirmou.

Para Juninho, o tempo de preparação que o Palmeiras teve com a parada da Série B foi uma das razões para a goleada e a boa atuação do time diante do Oeste. "Tivemos um tempo necessário para recuperarmos a força, o trabalho em campo reduzido. Essa parada foi muito boa para o elenco. Tivemos tempo para trabalhar. No primeiro semestre, sofremos com muitas contusões de jogadores importantes. Com essa parada, hoje praticamente não tem ninguém no departamento médico do Palmeiras (apenas o volante Léo Gago)", disse.

O próximo compromisso do Palmeiras na Série B enfim será no Estádio do Pacaembu após o time cumprir punição. E Juninho celebrou o retorno do time para São Paulo, na próxima sexta-feira, às 21 horas, quando a equipe vai receber o ABC, em partida válida pela oitava rodada.

"O campo aqui (em Presidente Prudente) é bom, grande e temos espaço para jogar. Mas jogar em casa é muito bom. O Pacaembu, que atualmente é a casa do Palmeiras, é muito importante para nós. Não teremos o desgaste da viagem. Acho bom voltar para São Paulo e espero que a gente continue com essa pegada e esse ritmo de jogo no Pacaembu também", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BPalmeirasJuninho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.