Nilton Fukuda|Estadão
Nilton Fukuda|Estadão

Auxiliar de Dunga vai monitorar jogos e sugerir convocações

Rogério Micale é quem acompanha o time olímpico desde o ano passado

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

14 de maio de 2016 | 17h00

Muito do que se vir em campo da seleção brasileira durante os Jogos Olímpicos terá como responsável Rogério Micale. Ele treina o time sub-23 desde o ano passado e foi responsável por montar a equipe, enquanto o técnico Dunga se preocupava com o time principal.

Com todo seu conhecimento sobre os jovens brasileiros, nada mais normal do que fazer parte da comissão técnica durante a competição, junto com o preparador físico do sub-23, Marcos Seixas. Muitas vezes, a opinião de Micale poderá ser importante tanto na convocação quanto durante os jogos.

Um exemplo do conhecimento de Micale, é que ele sugeriu a Dunga que não desperdice uma vaga dos jogadores acima dos 23 anos com um goleiro. Ele acredita que Ederson, do Benfica, tem condições de ser o titular durante os Jogos. Para conhecer melhor o jogador, Dunga o convocou para a Copa América e pode seguir o conselho do auxiliar.

"Ele tem potencial, capacidade e uma segurança muito grande. É um goleiro em que temos toda a confiança, até pela sequência excelente que tem tido no momento", disse Micale, para a Rádio Renascença, de Portugal, quando perguntado sobre a convocação de Ederson.

Micale também é responsável por comandar a seleção brasileira sub-20. Na quinta-feira, ele viajou para a Coreia do Sul, onde dirige o time no Torneio de Suwon, que acontece entre os dias 18 e 22 de maio.

Além do Brasil, participam os donos da casa, a França e o Japão. Após o torneio, Rogério Micale deverá focar todas as atenções na Olimpíada. O Brasil estreia dia 4 de agosto, contra o África do Sul, em Brasília. Depois enfrenta o Iraque, dia 7, e a Dinamarca, dia 10.

ÚLTIMAS DÚVIDAS

Embora não vá acompanhar a primeira e a segunda rodada do Campeonato Brasileiro, ele já tem algumas recomendações e indicações de quem Dunga poderá convocar. Entretanto, ainda existem dúvidas que podem ser sanadas com o desempenho no Brasileiro.

Micale tem uma vasta experiência no trabalho com categorias de base. Ele iniciou a carreira em 1999, no comando da Portuguesa Londrinense. Depois passou por ADAP Jacarezinho, Marcílio Dias, ADAP Campo Mourão, Londrina, Portuguesa Londrinense, Figueirense, Grêmio Prudente e Atlético-MG, de onde saiu em 2015 para assumir as seleções sub-20 e sub-23, substituindo Alexandre Gallo.

Em seu currículo profissional consta o título da Copa São Paulo de juniores em 2008 pelo Figueirense. Na seleção brasileira, foi vice-campeão mundial sub-20 no ano passado, na Nova Zelândia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.