Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Auxiliar Paulo Turra vai manter 'estilo Felipão' diante do Fluminense

Técnico está suspenso por criticar arbitragem; os dois trabalham juntos desde 2016

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2018 | 05h00

Nesta quarta-feira, Paulo Turra vai assumir o comando técnico do Palmeiras na partida contra Fluminense, no Allianz Parque pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas esta não será a primeira passagem do auxiliar técnico de Felipão pelo clube.

Nas quartas de final da Copa do Brasil, nos confrontos com o Bahia, Turra esteve no banco de reservas. A ausência do treinador na primeira ocasião ocorreu devido a alguns compromissos que ele teve antes de se apresentar oficialmente como novo técnico do Palmeiras. No segundo jogo, Felipão não pode comandar a equipe no domingo por conta de suspensão motivada pelas ofensas relatadas pelo árbitro do Dérbi, Jean Pierre Gonçalves. O Palmeiras avançou com certa facilidade. 

Gaúcho de Tuparendi, Paulo Turra foi zagueiro entre 2000 e 2001. Participou da conquista da Copa dos Campeões, em 2000, e após a aposentadoria, trilhou caminho como treinador de clubes como Avaí, Brusque e Cianorte até aceitar o convite de Felipão para ser auxiliar técnico do Guangzhou Evergrande, na China. A parceria começou em dezembro de 2016.

Paulo Turra é quase uma extensão de Felipão. O braço-direito do treinador. É o ex-zagueiro (campeão da Copa dos Campeões de 2000 com a camisa alviverde), como Felipão já disse publicamente, quem cuida da maior parte dos treinos em campo. Ele corrige posicionamentos, ensaia a cobertura da primeira linha defensiva e exige a ajuda dos homens de frente nos primeiros combates.

Turra comandou o treino nesta segunda-feira, pois Felipão havia viajado para o Rio para participar do julgamento no STJD. Daí, surgiu a suspensão de um jogo. O assistente foi o primeiro membro da comissão técnica a aparecer em campo nesta segunda-feira. Somente os jogadores que não começaram a partida em Belo Horizonte trabalharam com bola. Os demais permaneceram dentro do centro de treinamento para atividades regenerativas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.