Avaí bate Figueirense de virada por 3 a 2 em clássico eletrizante

Equipe alvinegra desperdiçou muitas chances e foi castigada no fim do segundo tempo

Júlio Castro, Agência Estado

28 de agosto de 2011 | 20h48

FLORIANÓPOLIS - Numa partida de prender o fôlego, o Figueirense de favorito se transformou em protagonista da reabilitação do Avaí no Campeonato Brasileiro. A equipe alvinegra dominou, esteve na frente do placar em boa parte do jogo, abusou das chances desperdiçadas e foi castigado com a derrota, de virada, por 3 a 2, para o seu maior rival no clássico 395 da história das duas equipes da capital catarinense.

O atacante William foi o herói da vitória avaiana marcando dois gols. O time do Avaí se mantém na zona de rebaixamento com 17 pontos. Já o Figueirense, com a derrota, caiu duas posições na tabela. É 10.º, com 26 pontos. A dupla volta a jogar na quarta-feira. O Avaí recebe o Flamengo na Ressacada e o Figueirense enfrenta o Cruzeiro, em Ipatinga.

Considerando a movimentação das duas equipes, os primeiros 45 minutos de partida passaram como um relâmpago. O Figueirense aplicou forte pressão e tomou a iniciativa até pouco mais da metade do período. Trocando bons passes e se aproveitando dos "buracos" na defesa avaiana, o time mandante deu as cartas.

Com o meia Elias cobrando falta aos oito minutos exigindo bela defesa do goleiro Felipe, também com Wellington Nem escorando para escanteio uma cobrança, aos 9 minutos, e o meia Acleisson arriscando de fora da área bola que explodiu no travessão na primeira jogada ofensiva avaiana, foram lances que tiraram o fôlego dos quase 20 mil torcedores no Estádio Orlando Scarpelli.

Mas a explosão da massa alvinegra aconteceu mesmo aos 19 minutos. Foi quando o volante Ygor subiu na defesa para tocar de cabeça para o fundo. A bola tocou na trave e no goleiro Felipe e entrou. O Figueirense ainda desperdiçou a oportunidade de ampliar aos 27 minutos, quando Júlio César chutou para fora uma cobrança de pênalti que ele mesmo sofrera com a falta de Pedro Ken dentro da área.

A bobeira do atacante alvinegro acordou o time avaiano, que concentrou suas ações no estreante Linconl. Aos 34, ele exigiu uma defesa espetacular do goleiro do Figueirense com uma cabeçada no canto. Wilson se esticou todo para evitar o empate. O Avaí cresceu na partida e aos 38 igualou o placar de cabeça. O Figueirense evitou seguir para o segundo tempo sem vantagem aos 45 minutos, quando o atacante Júlio César chutou três vezes. Na primeira tentativa o goleiro defendeu. Na segunda a bola bateu na trave e na terceira foi certeiro, retomando a vantagem para a equipe alvinegra.

Com domínio e maior volume de ações ofensivas, o Figueirense abusou de perder chances logo nos primeiros minutos do segundo tempo. Aos três minutos, Júlio César perdeu um gol feito após belo passe do meia Maicon. Aos sete, o mesmo Maicon decidiu arriscar e chutou para fora com a defesa aberta. E, no oportunismo o atacante William, então apagado no jogo, começou mostrar talento e oportunismo. Foi assim aos 14 minutos, quando pegou uma assistência que veio da direita, enfiou o pé e empurrou para o fundo da rede de Wilson. O jogo seguiu envolvente e com o Figueirense no comando da atenção da torcida, porém sem eficiência nas finalizações.

Dos 20 aos 40 minutos, os atacantes Somália, Júlio César e o meia Fernandes abusaram das chances desperdiçadas. Foram pelo menos duas finalizações na trave e outras três, ora interceptadas pela defesa ora defendidas pelo goleiro Felipe.

E, quando parecia que o Avaí já se conformava com o empate na casa do rival, veio a virada. Ela aconteceu aos 42 minutos. William aproveitou a cobrança de falta efetuada pelo ala Romano subindo no meio da área e colocou no canto, sem chances para o goleiro Wilson. "Isso serve para reabilitar nosso time. Como é gostoso fazer gol no Scarpelli", ironizou o atacante William, junto ao alambrado com a torcida, após o apito final do árbitro.

FIGUEIRENSE 2 X 3 AVAÍ

FIGUEIRENSE - Wilson; Bruno, João Paulo, Edson Silva e Julinho; Ygor, Túlio (Pitoni), Marcos e Elias (Fernandes); Welington Nem (Somália) e Júlio César. Técnico: Jorginho.

AVAÍ - Felipe; Arlan, Gustavo Bastos, Dirceu e Romano; Bruno, Acleisson (Cleverson), Pedro Ken e Linkoln (Fabiano); Robinho (Diogo Orlando) e William. Técnico: Betinho (interino).

Árbitro - Márcio Chagas (RS).

Cartão amarelo - Acleisson, Pedro Ken, Romano, Bruno (Avaí); Bruno, Welington Nem, Somália (Figueirense).

Gols - Ygor, aos 19 e Lincoln aos 38 e Júlio César aos 45 minutos do primeiro tempo. William, aos 14 e aos 42 minutos do segundo tempo.

Renda e público - não disponíveis.

Local - Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.