Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Avanti sobe 20% e torcida do Palmeiras protesta nas redes sociais

Programa de sócio-torcedor tem reajuste elevado e palmeirenses reclamam de elitização no Allianz Parque

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2018 | 17h30

 O Palmeiras anunciou nesta sexta-feira a mudança de preços do programa de sócio-torcedor Avanti. Os reajustes de 20% nas mensalidades estão causando reclamações da torcida nas redes sociais. Além da críticas feitas individualmente por dezenas de torcedores, o movimento Ocupa Palestra divulgou um documento de protesto no qual pede esclarecimentos sobre o porcentual de aumento, superior aos índices de inflação.

"O Avanti é um patrimônio da instituição, um projeto que deveria agregar e unir os torcedores, aproximá-los do clube e criar um canal de relacionamento entre as partes. De algum tempo para cá, entretanto, o programa faz o caminho inverso, tornando-se um verdadeiro pedágio para a compra de ingressos - isso quando estão disponíveis e o site funciona", diz o grupo de palmeirenses que tenta também reverter os bloqueios das ruas do entorno do Allianz Parque nos dias de jogos.

Em outro trecho da carta, os palmeirenses afirmam que o programa acaba dividindo a torcida. "Não bastasse o ilegal cerco que nos divide, o preço dos ingressos - e consequentemente do Avanti - está criando uma casta de torcedores que tem o privilégio de assistir aos jogos no estádio."

O clube justifica os aumentos do programa, uma das principais fontes de receita do Palmeiras, informando que não foram feitas alterações de preço nos últimos dois anos. O clube oferece desconto de 10% para quem fizer em janeiro o pagamento anual da matrícula, podendo parcelá-lo em até quatro vezes.

Com os reajustes, as mensalidades mais baratas (categoria bronze) passam de R$ 14,99 para R$ 17,99. O plano chamado "prata superior" passa de R$ 64,99 para R$ 77,99. Já o plano diamante, que custava R$ 649,99, passará a R$ 779,99.

Além do reajuste, o regulamento também traz mudanças na contagem do rating. O sócio que adquirisse ingresso e não fosse ao jogo era penalizado em dez pontos. A partir de 2019, a multa será de 25 pontos. Com isso, o clube pretende diminuir o número de cadeiras vazias.

 


 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.