Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Avô de Everton Cebolinha morre vítima de coronavírus no Ceará

Francisco Albuquerque de Araújo vivia na cidade de Maracanaú, região metropolitana de Fortaleza

Redação, Estadão Conteúdo

21 de maio de 2020 | 11h50

O atacante Everton Cebolinha comunicou nesta quinta-feira o falecimento do seu avô, Francisco Albuquerque de Araujo. Ele morava em Maracanaú, na região metropolitana de Fortaleza, e foi vítima do coronavírus, de acordo com publicação do jogador gremista no Instagram.

"Sua partida quebrou meu coração, nunca tinha sentido algo assim antes. Parece que meu mundo desabou, fiquei sem chão. Meu vô, não tenho palavras para descrever o homem que você foi, sempre se fez presente na minha vida. Saber que você morreu em Cristo, isso me conforta. Seu Francisco, que falta você faz", escreveu, em um texto de despedida do seu avô, com uma imagem sua, ainda quando criança, ao lado do parente.

Na publicação sobre o seu avô, Everton destacou a gravidade da doença e seus efeitos, em um apelo de conscientização à população. "Isto não é uma gripezinha e está mais perto do que imaginamos", escreveu o atacante.

Time de Everton, o Grêmio já retomou a rotina de treinos, ainda que cheio de restrições, durante a pandemia do coronavírus. O elenco, assim como o atacante, tem treinado dividido em grupos no CT Luiz Carvalho e sem que haja contato físico entre os atletas durante os trabalhos. Ainda não há data para retomada das competições, embora se cogite a volta do Campeonato Gaúcho para a segunda metade de julho.

Maracanáu, cidade onde seu avô faleceu, também é onde Everton nasceu, dando seus passos iniciais no futebol nas divisões de base do Fortaleza, antes de se transferir ao Grêmio, onde é destaque e foi campeão da Copa do Brasil em 2016 e da Libertadores em 2017, chamando a atenção de clubes europeus e também da seleção brasileira, tendo sido parte do grupo que venceu a Copa América no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.