Baggio se despede da seleção na quarta

O amistoso entre Itália e Espanha, quarta-feira, em Gênova, deverá marcar a despedida, com a camisa da Azzurra, de um artista da bola: Roberto Baggio. O meia, que encantou os amantes do bom futebol com sua grande técnica e espantosa visão de jogo, foi convocado pelo técnico Giovanni Trapattoni. É uma homenagem. Aos 37 anos, Baggio anunciou que pára ao fim do Campeonato Italiano.Uma ironia: Trapattoni foi o mesmo treinador que deixou Baggio fora da Copa de 2002, apesar de os tifosi e a imprensa italiana terem feito uma campanha pró-convocação semelhante (e igualmente infrutífera) à ocorrida no Brasil em favor de Romário.Roberto Baggio jogou na seleção italiana por 10 anos, mas não era chamado há 5. Sua estréia foi em 26 de novembro de 1988, na vitória por 1 a 0 sobre a Holanda. Foram 55 partidas, 27 gols e três Mundiais (1990/1994/1998). Certamente, seu momento mais doloroso foi a Copa dos EUA, quando perdeu o pênalti na decisão contra o Brasil.Baggio começou a carreira do Lanerossi, da Série C, em 1982. Em 1986, estreou na Série A, pela Fiorentina. Em 1990 foi para a Juventus, onde ficou por cinco anos. Jogou também no Milan, Bologna e Internazionale. Desde o ano 2000, está no Brescia. Na Série A, marcou 204 gols.Agora, resolveu parar. "Não tive uma carreira tão intensa como pretendia, porque as várias lesões no joelho impediram. Mas a não ser que ocorra uma incrível e improvável mudança, não creio que voltarei atrás na decisão de deixar o futebol??, disse.Mas e no caso de uma convocação para a fase final da Eurocopa, em Portugal? "Não sei de nada. Trapattoni é quem decide??, responde Baggio. Para bom entendedor...

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.