Felipe Oliveira / EC Bahia
Felipe Oliveira / EC Bahia

Bahia aposta em formação ofensiva para surpreender Botafogo no Engenhão

Vinícius e Ramires devem ser titulares no meio de campo, com apenas Gregore como volante de contenção; Jackson retorna

Estadão Conteúdo

20 Outubro 2018 | 07h34

O técnico Enderson Moreira gostou muito do que viu na vitória do Bahia por 2 a 0 sobre o Paraná no último final de semana. Saindo do banco de reservas, Vinícius conseguiu mudar a história do jogo e marcou dois golaços, pedindo passagem para ganhar uma oportunidade entre os titulares. Contra o Botafogo, neste sábado, às 16 horas, o técnico pode apostar numa escalação bem mais ofensiva no Engenhão, no Rio de Janeiro.

Em momento de instabilidade, com apenas uma vitória nos últimos cinco jogos, o Bahia precisa partir para cima. Está com 34 pontos, em 13º lugar. Por isso Enderson Moreira deve apostar na formação com Ramires e Vinícius, com muito mais mobilidade no meio-campo mantendo apenas Gregore como volante de contenção. Na frente, Gilberto fica centralizado, com Elber e Zé Rafael jogando abertos, mas com a determinação de ajudar a recompor defensivamente.

A formação ganha ainda mais força com o retorno do zagueiro Jackson, expulso no empate por 2 a 2 com o Grêmio e que fica à disposição. Na lateral direita, o treinador ainda tem dúvidas se começa com Bruno ou Nino Paraíba. Do outro lado, pela esquerda, Paulinho treinou, mas Léo deve começar entre os titulares.

"O Ramires tem capacidade de fazer outras funções, mais que o Vinícius, que é um meia clássico, armador, com poder ótimo de finalização, leitura de jogadas. Ramires é um meia mais trabalhador, de ter dinâmica de jogo diferente, que pode jogar como volante, assim como o Vinícius. Mas não é a característica dele", comenta Enderson Moreira.

"O Ramires, sim, tem essa possibilidade. Ele também pode jogar pelo lado. A gente pode brincar um pouco mais com ele. O Vinícius a gente sabe que é uma posição mais definida", confirma o técnico.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.