Divulgação/Bahia
Divulgação/Bahia

Bahia 'cobra ingresso' de semifinal do Brasileirão de 88 para ajudar ex-jogadores

Clube mais uma vez inova e recorda de histórico jogo com o Fluminense, no ano em que o time baiano conquistou o torneio nacional

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2020 | 13h39

A diretoria do Bahia resolveu tomar uma atitude inovadora para buscar recursos para um projeto que ajuda ídolos do passado do clube. Neste sábado, às 14h30, o canal de TV a cabo SporTV mostrará a reprise do jogo do time baiano contra o Fluminense, válido pela semifinal do Campeonato Brasileiro de 1988, que bateu recorde de público do então estádio Fonte Nova, em Salvador, e encaminhou a ida à decisão nacional daquela temporada. A novidade é que o jogo terá "ingressos" cobrados pelo Bahia.

O presidente Guilherme Bellintani explicou a ideia de vender ingressos a um preço simbólico de R$ 5,00 para reviver o dia na Fonte Nova e ajudar no programa Dignidade ao Ídolo, que auxilia nomes da história do clube tricolor que atualmente necessitam de apoio financeiro.

"Sábado teremos a transmissão do SporTV da seminal entre Bahia e Fluminense do Brasileiro de 1988. Vamos vender ingressos desses jogos, o torcedor vai assistir de casa se sentindo na Fonte Nova. 30 anos depois vamos acrescentar mais torcedores aos 110 mil que compareceram na época. Esse recurso vai para o programa de dignidade aos ídolos do clube", explicou o presidente, em entrevista ao canal de TV do clube.

A "venda" dos ingressos começou na quarta-feira e até o final do dia mais de 1.000 ingressos virtuais já haviam sido adquiridos. "Na quarta vamos começar a vender por R$ 5. Vamos corrigir aquele borderô de 110 mil (pessoas) aumentando um pouco mais com esses ingressos", disse Bellintani.

A partida vencida por 2 a 1 pelo Bahia foi disputada no dia 12 de fevereiro de 1989 e levou 110.438 torcedores às arquibancadas da antiga Fonte Nova, segundo borderô da época. Contudo, quem estava naquele jogo afirma que havia ainda mais gente no estádio - sem contar os milhares que nem sequer conseguiram entrar.

A escalação do Bahia daquele jogo foi: Ronaldo; Tarantini, Newmar, Claudir e Paulo Robson; Paulo Rodrigues, Gil e Bobô (Dico); Zé Carlos, Charles e Sandro. O técnico era Evaristo de Macedo. Classificado à final, o clube baiano foi campeão brasileiro em cima do Internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBahia [Esporte Clube Bahia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.