Bahia luta contra a hegemonia do Vitória no clássico deste domingo

Depois de nove anos, rivais baianos se enfrentam pela Série A. Tricolor perdeu três dos últimos quatro jogos

O Estado de S. Paulo

21 de julho de 2013 | 07h30

SALVADOR - Depois de nove anos,Vitória e Bahia voltam a se enfrentar pela Série A do Campeonato Brasileiro. E o jogo deste domingo, na Fonte Nova, mostra a rivalidade regional ainda mais acirrada do que nos confrontos anteriores.

O motivo principal é a desvantagem do Bahia nos últimos quatro jogos, nos quais somou três derrotas e um empate. Para completar o desconforto, o Bahia foi goleado duas vezes em 2013. Em uma delas, perdeu por 7 a 3 na primeira partida da final do torneio estadual, na partida que decretou a proibição definitiva das caxirolas, que foram atiradas no gramado pelos torcedores em sinal de protesto.

Além de ter perdido o título, essa freguesia diante do maior rival incomoda bastante o Bahia. "A filosofia de jogo e a mentalidade são outras. Não se fala daquilo que passou. Claro que fica marcado, mas nada disso é falado. A gente só pensa no próximo jogo. Vai ser um jogo diferente", promete o volante Rafael Miranda.

Além da própria motivação de acabar com a hegemonia rubro-negra, o time tricolor tem a oportunidade de ultrapassar o arquirrival na tabela em caso de triunfo (a diferença entre os dois é apenas um ponto, 13 a 12).

Depois do triunfo sobre o São Paulo por 3 a 2, com ótima atuação coletiva, o Vitória tem um objetivo mais ambicioso: buscar a ponta do Campeonato Brasileiro.

"Será mais uma partida complicada. Isso é uma motivação a mais para o torcedor que, com certeza, vai fazer uma grande festa. Clássico é sempre imprevisível, mas estamos muito bem preparados para enfrentar mais esse grande desafio", disse o goleiro Wilson.

Altos e baixos. Com campanha irregular, o Flamengo tem compromisso difícil contra o Inter em Caxias do Sul. O time gaúcho leva três pontos de vantagem na tabela (12 a 9). A equipe de Mano Menezes quer mostrar que está em ascensão depois da vitória na última rodada sobre o Vasco por 1 a 0 em Brasília. Mas na verdade o Flamengo tem problemas sérios em seu elenco.

O novo treinador quer primeiro consolidar uma estrutura tática para depois ver quem vai poder resolver seu problema nos jogos embaraçados. Talvez quem mais se aproxime desse perfil seja o atacante Marcelo Moreno. Leonardo Moura ainda mantém fôlego e técnica para criar boas jogadas. Por outro lado, Carlos Eduardo e Paulinho vêm de atuações irregulares. Pelo treino de sexta-feira, no Rio, Mano deve escalar três volantes.

No Inter, Leandro Damião está recuperado de uma lesão muscular na coxa direita, mas sua escalação só será confirmada após uma conversa do técnico Dunga com o departamento médico. Caio, que passou por cirurgia no joelho esquerdo, e Alan Patrick, trazido do Shakhtar Donetsk, também podem ser escalados. A zaga está confirmada com os titulares Juan e Índio, que se recuperaram de problemas musculares.

Tudo o que sabemos sobre:
EC bahiavitóriabrasileirãofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.